sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Informática - Porque mais blogs?

Quando decidi criar este blog foi para falar de alguns assuntos específicos que inclusive trato em muitos dos meus livros, entretanto muitas vezes eles exigem um meio mais rápido. Deste modo mantive como objetivo deste blog tratar de temas como: Informática, Vícios Benéficos, Cinema e Literatura. Porém, tratanto estes temas com o objetivo primário relacionado a Empregabilidade, ou seja, o que posso fazer para elevar minha carreira profissional, então depois de alguns meses finalmente descobri que esse seria realmente o tema principal deste blog e o seu foco: Empregabilidade.

Bem, hoje realizei um antigo sonho, e queria muito compartilhar com todas as pessoas que possuem este mesmo sonho, queria poder ter um espaço para publicar meus erros e acertos, bem como minhas lições aprendidas, meu Plano de Risco e que deve ou não deve ser feito e depois de um debate comigo mesmo (me mandaram dizer que dois de mim foram contra) onde a maioria ganhou, achamos por bem criar um novo blog, está no endereço: http://fanselmo.blogspot.com/ e espero que possa manter os dois funcionando a contento sem gerar nenhum espécie de preferido.

2011 está bem na porta e em breve estaremos com um novo Presidente a Empregabilidade deverá continuar em alta (pelo menos é o que espero), então só posso desejar a todos que me acompanham um Feliz Natal e um maravilhoso começo de ano e espero poder manter uma publicação semanal.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 18 de dezembro de 2010

Cinema - Tron: O "Meu" Legado

Pode um filme influenciar as pessoas? Pensemos em alguém que adora os filmes e vive em uma cidade onde a maior diversão é ir ao cinema (atualmente a maior diversão é ir ao Shopping), pois bem, ali estava tranquilamente sentado nas cadeiras de couro do falecido Karim da 110 Sul (hoje convertido em Igreja) e pronto para assistir a mais um filme da Disney, era o ano de 1982 e estava com 16 anos naquela famosa idade que sabia de tudo, principalmente o que queria ser da vida: um grande veterinário e ter minha própria clínica para cuidar de animais de estimação.

Ao sentar naquela cadeira de couro do cinena, fui levado a muitas lembranças, neste cinema fui barrado na porta, pois tinha 12 anos tentei assistir a "Grease - Nos Tempos da Brilhantina" (como o mundo era inocente) e foi lá também que assisti a "Star Wars". Bem, voltando ao filme, as luzes se apagaram e o filme começou, em um laboratório de tecnologia avançada um velhinho consegue colocar uma maça em dados digitais, depois um casal bem romântico e a cena muda para uma loja de fliperama, um cara jogando e outro cara que era do casal chega para conversar, o filme vai se desenrolando normalmente e pelo visto seria uma ótima Ficção Científica (adoro esse gênero) já tinha ficado meio baratinado com "Guerra nas Estrelas" um tempo atrás (1977) então esse filme prometia. 

De repente acontece a mágica do cinema, o rapaz, como a maçã, é enviado para dentro do computador e um novo mundo se abre, entre o Azul e o Vermelho dominante do filme se destacando com o preto meus olhos simplesmente brilharam e eu simplesmente esqueci de piscar no meio das "LightBikes" para não perder um segundo da cena. Estava simplesmente encantado com a magia do mundo de "Tron - Uma Odisséia Eletrônica", que diferente de "Star Wars" que era uma galáxia muito, muito distante, aquilo estava ali e eu podia ter acesso. A linguagem que eles falavam era simples, programadores, programas, assembler, computadores, compiladores,... (nada de loucuras como Força ou Jedis), não era um Star Trek ou Perdidos no Espaço da Televisão, era "Tron".


Estamos agora a 27 anos depois e o garoto de 16 anos saiu do cinema e correu para uma biblioteca aprender Assembler e Fortran, depois veio ADA, PL1, ALGOL, Pascal, Natural, Basic, dBase, Clipper, Zim, UNISYS, Visual Basic, Object Pascal, C, C++, Java e a lista interminável continua. E tudo isso simplesmente por causa de "Tron". No cinemas agora está estreiando "Tron: O Legado", no qual o filho de Flynn é sugado para esse mundo. Pretendo ir ao cinema com meu filho, e o que vai acontecer não sei, a única coisa que sei é que os filmes realmente podem influenciar as pessoas.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 28 de novembro de 2010

Informática - Nova Mania? Drogas Estimuladas

Que tal injetar um dose de LSD? Ou mesmo Cocaína? E isso tudo na frente de seus pais, irmãos, amigos e até mesmo na frente de policiais? Antes que eu seja preso deixe-me explicar, trata-se de um programa de computador chamado I-Doser que produz “doses” de ondas sonoras, com o objetivo de interferir nas ondas cerebrais do usuário, simulando assim o efeito de várias drogas.

No site do programa (http://www.i-doser.com/) você descobre que as doses devem ser compradas, e o uso delas é limitado, inclusive não sendo possível o re-uso depois de algumas doses.

Baixei o programa e fui testar o efeito do "Alcohol", sentei tranquilamente no computador, coloquei os fones e liguei o programa, primeiro parece que está com problemas pois o que se escuta é uma chiadeira só, isso é chamado de "ondas binaurais", que são duas frequências quase iguais, uma em cada lado do ouvido, que geram uma terceira frequência, acostumado com a chiadeira me deixei levar. Depois de um tempo veio um sensação de que o mundo estava embaralhado e meus lábios começaram a ficar com cãimbra, ou seja, estava de porre, a sensação durou uns 10 mins e depois fiquei com uma dor de cabeça típica de ressaca. Qual a vantagem? Simples não tomei os 5 copos de caipirinha que seriam suficientes para me dar a mesma sensação, assim meu organismo não sofreu os efeitos devastadores e meu fígado ficou muito agradecido.

Lembro de um filme de Woody Allen chamado "O Dorminhoco" (Sleeper - 1973), em uma das cenas existe uma esfera que estimula os sentidos e todos na sala a estão compartilhando, outro filme com Sylvester Stallone chamado "O Demolidor" (Demolition Man - 1993) na qual a personagem interpretada por Sandra Bullock convida Stallone para fazerem "sexo" na qual ela simplesmente coloca um aparelho na cabeça dele que começa a enviar estímulos cerebrais.

Será que muito em breve os dependentes químicos serão curados desta forma? Ou simplesmente estaremos partindo para um novo mundo "I-Doser & Rock Roll".

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

PS. Entre as drogras é possível encontrar uma com o nome de "Orgasm". Boas sensações para você.
PS2. Leia a matéria do site http://noticias.bol.uol.com.br/entretenimento/2010/08/12/drogas-digitais-seduzem-os-jovens-com-a-promessa-de-sensacoes-fortes.jhtm

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Vícios - Jogos de Tabuleiro

Passei boa parte da minha infância raciocinando em cima dos jogos de tabuleiro, Resta Um foi um dos primeiros, em seguida, com um grande amigo Ricardo que foi quase um irmão, comecei com Damas e Ludo (bastava virar o tabuleiro) e quando estava realmente aprendendo a raciocinar e a memorizar com o Genius (que não é bem um jogo de tabuleiro) comecei a jogar Banco Imobiliário, WAR e GO, e com meu Pai, que era um grande parceiro de Jogos, aprendi Xadrez e Gamão (passamos as férias em Recife jogando todas as noites).

Acredito que o raciocínio para vencer em todos esses jogos seja o mesmo que levamos para as coisas que fazemos durante a nossa vida, deste modo, é um vício que não considero uma perda de tempo. A geração atual possui novos jogos que a minha geração consideraria um "desperdício", por exemplo: Qual a vantagem de aniquilar milhares de Zumbis? Pessoalmente, procuro tentar ver que ao menos a pessoa estará preparada caso isso venha realmente a acontecer. Brincadeiras a parte, vejo que mesmo para matar um montão de Zumbis deva existir por trás todo um conjunto de raciocínios lógicos, tais como dos muitos jogos que presenciei meu sobrinho jogar. O problema é que a minha geração irá sempre preferir o "rolar dos dados" ou o "tocar das peças".

Gostaria de recomendar uma visita a página "Jogos Antigos"  (http://www.jogos.antigos.nom.br/) e espero que reviver alguns jogos, mesmo que sejam no computador, possa ser tão divertido como foi na minha infância.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 21 de novembro de 2010

Cinema - ou informática

Agora são 11:10 e terminei de assistir ao último filme que prometi que assistiria hoje, infelizmente um deles teve que ficar para quando estreiar no cinema:

1. Helvetica - Documentário sobre os 50 anos da mais famosa fonte do mundo, realizado por Gury Hustwit, feito em 2007 não soube que passou em nenhum cinema brasileiro, você pode encontrar maiores referências no site: http://en.wikipedia.org/wiki/Helvetica_(film)

2. Piratas do Vale do Silício - A fantástica história de Bill Gates e Steve Jobs, sobre o nascimento da Micro-Soft (depois que ela perdeu o "-") e a Apple, as loucuras de Jobs e o brilhantismo de Bill ficam claros neste filme, a cena que Jobs faz brigar as equipes que trabalhavam com o Mac é impagável, mais no site: http://en.wikipedia.org/wiki/Pirates_of_the_Silicon_Valley

3. Revolução OS - Mais um documentário, dessa vez sobre Linus Torvalds e sua turma, a história do Linux e das licenças GPL e GNU, execelente filme para se começar a pensar em mudar de vez o sistema operacional, outro que também não passou nos cinemas, mais no site: http://en.wikipedia.org/wiki/Revolution_OS

4. A Rede Social - Dessa vez é sobre a história do Facebook, como estudantes de Havard criaram este site de relacionamento. A história é sobre Mark Zuckerberg, diretor-executivo e cofundador do site, e é baseada no livro do jornalista Ben Mezrich, The Acidental Billionaires e não tem o apoio do Facebook, a estréia será em 03/12, mais no site: http://www.cinemaemcena.com.br/Ficha_filme.aspx?id_critica=7635&id_filme=9438&aba=critica.

Abraços e até a próxima.
Fernando Anselmo

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Informática - Sofro por ser organizado

Meu grande problema é que sou muito organizado, o que poderia ser muito simples na minha vida acaba se tornando terrivelmente complicado. Um simples exemplo, faço meus backups em CDs (nada demais), só que tenho a mania de catalogá-los (isso é bom pois nada se perde), e resolvi para melhorar meu acervo ao criar minhas próprias capas de CD (com base neste vídeo http://www.youtube.com/watch?v=lo7_frpcDBM&feature=related) para melhor armazená-las (fica tudo muito bem organizado).

Para 1 CD isso é fantástico, agora vai fazer isso com 30 CDs, pois simplesmente deixei acumular por falta de tempo, acaba se tornando um grande problema, pois nessa brincadeira lá se vão umas 2 horas entre imprimir (faço as capas a partir de um molde para o Open Office Draw, deste modo posso criar um título, adicionar o conteúdo, imagem de um software entre outras coisas) e deixar o CD pronto, ainda bem que desisti de colar uma etiqueta no CD.

Nesse tempo fiquei pensando será que é por isso que a Documentação de Sistemas sempre está atrasada, afinal de contas qual a graça de documentar? É sempre o mesmo trabalho maçante que não possui qualquer desafio. Porém, depois de todo o trabalho que tive, percebi que quando precisei de um determinado arquivo consegui localizar facilmente em qual CD estava. Posso realmente ter perdido 2 horas, mas garanto que no futuro as recuperarei com juros.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

PS. Se você deseja o gabarito para as capas no "Open Office Draw" basta me enviar um eMail (fernando.anselmo@dfjug.org).

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Informática - Cheat Sheet

Há algumas postagens atrás falei sobre "Cartões de Referência" (http://fernandoanselmo.blogspot.com/2010/09/informatica-cartoes-de-referencia.html), ou "Resumão" (QuickStudy), esses aqui são o outro lado da moeda, se parecem com os Cartões mas não são.

A idéia é que a Cheat* Sheet** ocupe somente uma única folha de papel e contenha as informações essenciais de um determinado assunto (por exemplo Adobe Flex), talvez por isso utilizamos o perjorativo "Folha de Cola***", lembra daquela época que você grudava um papelzinho no braço com "algumas" respostas ou escondia entre suas pernas na carteira (hoje em dia se usa o iPhone).

Então, se você está procurando aquele resumo do resumo para um determinado assunto procure no Google o termo "Cheat Sheet".

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

* Cheat, como verbo é enganar, trapacear, colar
** Sheet, é folha de papel
*** Folha de Cola, não é uma tradução literal para "Cheat Sheet"

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Informática - Linguagens

Pare o que está fazendo e me responda: Qual a linguagem mais falada em relação a número de pessoas? As duas, tanto em programação como em idioma oficial? Cobol e Inglês seria uma boa opção? Que tal Python e Japonês?

Se a opção foi para Java e Mandarim parabéns, mas saiba que como linguagem de programação a Objective-C, Transact-SQL, ADA, NXT-G e RPG (OS/400) tiveram um crescimento bastante expressivo este ano conforme o TIOBE (http://www.tiobe.com/index.php/content/paperinfo/tpci/index.html) e o Espanhol também está ganhando muito terreno segundo http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_languages_by_number_of_native_speakers.

Investir na carreira de desenvolvedor significa saber o que estará de pé, bem vivo durante os próximos anos e se formos comparar alguns gráficos desejo deixar uma aposta registrada para Objective-C e Hindi como às próximas linguagens a causarem um grande movimento no mercado. Coisa de magia? Não apenas uma impressão. Só isso.

Hugs और जल्द ही मिलते हैं.
Fernando Anselmo

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Informática - Não pedi e não vou ter

Porque será que algumas empresas (principalmente as instituições bancárias) acham que você é um extremo idiota no que se relaciona a Matemática Financeira, Contabilidade e Informática. Tudo bem, concordo que a grande maioria não tem a menor idéia como fazer conversões de taxas baseadas em Juros Compostos ou um razonete, mas obrigar que você tenha um programa na sua máquina simplesmente porque ele irá te proteger melhor do que seu anti-vírus já chega a ser um abuso.

Ultimamente o meu Windows XP vinha se comportando de modo estranho (muitas coisas na minha casa seguem esse padrão, principalmente quando é fim de mês), a questão é que consumia 50% de CPU sem nenhum processo rodando, a Internet não estava lenta estava parada (me senti de volta a conexão discada), inclusive quero deixar registrado aqui minhas desculpas a GVT pois achava que eles eram os culpados e tudo indicava que meu Dual Core se transformava em um TK 85. Como sou um cara de informática, fui atrás do problema. Muitos softwares de otimização e nada, cheguei a arrumar a register do Windows na mão e nada, até que topei com um software chamado "Process Explorer" que me mostrou o grande vilão: GBuster (http://www.gastecnologia.com.br/site/pt/PaS.aspx?PaSId=1). Isso não é um vírus é um programa de "blindagem" que os bancos utilizam para o acesso ao Internet Banking, o problema é que não acesso a Internet Banking e como todo bom cara de informática somente realizo minhas transações bancárias na "boca do caixa". Agora começa um capítulo triste da história: A remoção desse programa.

Após um monte de tentativas frustadas de tentar retirar o processo e o software (ele não aparece no Uninstaller do Windows) e mais um monte de boots na máquina. Descobri finalmente como removê-lo e parece coisa de piada. ATENÇÃO: NÃO GARANTO NADA e recomendo fortemente que você faça um BACKUP dos seus dados.
  1. Usando um CD Live com UBUNTU 10.04 acessar a pasta (normamente em "Arquivos de Programas") onde está o gbplugin.
  2. Matar a pasta. Obs. Não confie em programas PRONTOS que removem esse software pois muitos deles vem de brinde um Trojan que é inserido na sua máquina.
Esses passos só devem ser executados quando você sabe muito bem o que está fazendo e não deseja ter esse programa de proteção e nem acessa o Internet Banking. Finalmente, ao dar um boot meu Windows, que demorou uma eternirdade para entrar, pude usar meus programas limpadores da "Register" para terminar a faxina na minha máquina que voltou ao seu estado normal.

Obtenha mais informações, antes de qualquer decisão, pesquise no Google sobre o "GBuster" e você verá que são muitas as opniões tanto favoráveis como contra ele, pessoalmente, só gostaria de poder optar se quero ou não tê-lo na minha máquina.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 13 de novembro de 2010

Informática - Virtualização - Parte 1

Aprender a utilizar um novo Sistema Operacional é considerado um processo muitas vezes complicado, a solução de criar partições com para hospedar o outro Sistema Operacional sempre foi meio problemático, em seguida, com a melhora da capacidade dos Pen Drive, tínhamos um método seguro (para o sistema original não para o hospedeiro), por fim a utilização através dos CDs botáveis, quem nunca utilizou no Brasil o Kurumin, entretanto existe o problema de não se modificar nada.


Virtualização é a menina loira, bonita e de olhos azuis que renasceu das cinzas (como uma bela Fênix) e fez brilhar os olhos dos executivos de TI das grandes empresas, liderando o ranking das tecnologias, divulgado pelo Garther Consunlting. Um dos grandes responsáveis pela melhora na utilização da virtualização foi o barateamento do custo das unidades de armazenamento, hoje, é possível comprar um HD Externo de 1 TB por menos de R$ 300,00.

Virtualização consiste basicamente em emular Sistemas Operacionais, ou seja, podemos rodar no nosso Windows uma distro do Linux ou uma versão do MacOs, Solaris, ou qualquer outro SO. Deste modo, podemos testar a instalação, total utilização de um sistema, bem como o uso de seus softwares. Uma vantagem é que também podemos configurar todo o SO independentemente e compartilhando fisicamente o mesmo hardware. Além disso, o processador com tecnologia de virtualização possui instruções para controlar a virtualização. Com essas instruções, o software de controle, também chamado VMM (Virtual Machine Monitor), pode ser mais simples, o que resulta em um melhor desempenho se comparado a soluções baseadas apenas em software. São classificados em 2 tipos:

Tipo 1: VMM é implementado diretamente sobre o hardware físico subjacente. Xen e VMware ESX Server são exemplos deste tipo de máquinas virtuais.

Tipo 2: VMM é implementado completamente sobre o sistema operacional host. Exemplos deste tipo de máquinas virtuais são o VMware Server e o VirtualPC.

As ferramentas para esse tipo de trabalho são diversas e como modelo de aprendizado, iremos utilizar o VirtualBox (download pode ser obtido gratuitamente no site http://www.virtualbox.org/) que é um software de virtualização Tipo 2, e propõe a criação de ambientes para instalação de sistemas distintos. Desta forma podemos tornar melhor o nosso aprendizado de um novo Sistema Operacional.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 24 de outubro de 2010

Literatura - Cressida Cowell - How to Train Your Dragon

Pode um filme superar um livro? Pode em parte, se o livro for simplesmente uma história para crianças. Então, esse é caso do filme "Como Treinar o Seu Dragão" baseado no livro da Britânica Cressida Cowell.

Mas hoje quero falar dos livros e não do filme, livros? Sim, pois são oito livros da coleção "Como Treinar Seu Dragão":
  • How to Train Your Dragon
  • How to Be a Pirate
  • How to Speak Dragonese
  • How to Cheat a Dragon's Curse
  • How to Twist a Dragon's Tale
  • A Hero's Guide to Deadly Dragons
  • How to Ride a Dragon's Storm
  • How to Break a Dragon's Heart
E mais um especial entitulado:
  • How to Train Your Viking

Todos eles são livros infantis e são excelentes para dar boas gargalhadas com as loucuras da infância de Hiccup (Soluço) Horrendous Haddock, um menino Vinking que está mais para Hagar, o Horrível que qualquer outra coisa, totalmente atrapalhado e sempre se metendo nas piores confusões. Além disso como J.R.R. Tolkien seus livros trazem uma nova língua para divertir a todos o "Dragonese" além dos Desenhos presentes em todos seus livros.

Mesmo que você deteste histórias de Dragões, Vinkings, Livros Infantis, ainda sobra uma coisa muito simples, essa espécie de livro é ótima para praticar Inglês. Mais sobre Cressida Cowell pode ser encontrado no seu site oficial: http://www.cressidacowell.co.uk/.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 23 de outubro de 2010

Informática - Chuck Norris "O DBA"

Eis algumas perolas:
  • CHUCK NORRIS não faz DELETEs. Ele olha para os registros e eles correm de medo.
  • CHUCK NORRIS não cria PKs. Os registros simplesmente não atrevem-se a duplicar.
  • CHUCK NORRIS não usa LOG. Ele lembra de todos registros que alterou.
  • CHUCK NORRIS não faz backup. Ele não vai falhar.
  • CHUCK NORRIS não cria ÍNDICES. Ele sabe que os registros retornarão mais rápido que puderem.
  • ACCESS é muito mais rápido que ORACLE. Basta que o DBA seja CHUCK NORRIS.
  • Uma vez adaptaram o ROUNDHOUSE KICK para o ORACLE. Assim nasceu o TRUNCATE TABLE.
  • CHUCK NORRIS não dá DROP TABLE. Ele dá ROUNDHOUSE KICK TABLE.
  • Uma vez CHUCK NORRIS deu um ROUNDHOUSE KICK em um banco poderoso. Hoje ele é conhecido por ACCESS.
  • CHUCK NORRIS sabe todos os erros do ORACLE de cor. Porque ele criou eles.
  • SELECT SUM(FORÇA) FROM CHUCK_NORRIS; Internal error. Don't call the support.
  • SELECT CHUCK_NORRIS; Drop database sucessful.
  • SELECT ROUNDHOUSE_KICK FROM CHUC... Lost connection.
  • DELETE FROM CHUCK_NORRIS. Not Found. (Ele está atrás de você, a ponto de dar um ROUNDHOUSE KICK!!!)
  • CHUCK NORRIS tem IGNORE CONTRAINTS automático. Ninguém restringe nada a CHUCK NORRIS. Ninguém.
  • CHUCK NORRIS não faz cursos de ORACLE. A ORACLE é que faz cursos com ele.
  • CHUCK NORRIS instala o ORACLE sem ler o manual. (Quem você pensa que é para ter tentado isso?)
  • CHUCK NORRIS instala o ORACLE em um 486. Rodando KURUMIM. Em 2 minutos.
  • CHUCK NORRIS instala o MSSQL Server em um Pentium 100MHZ. Rodando Solaris. A partir dos fontes.
  • CHUCK NORRIS instala o DB2 em um 486. Rodando WINDOWS VISTA. Sem HD.
  • CHUCK NORRIS não tem Certificação. São as empresas que tentam tirar Certificação em CHUCK NORRIS. Em vão.
  • Se disser ao DBA CHUCK NORRIS que "o problema está no banco", é melhor que esteja se referindo a alguma Instituição Financeira.
  • CHUCK NORRIS SABE qual o problema de performance do banco. Ele só está dando uma chance do banco se arrepender. 5... 4... 3...
  • CHUCK NORRIS não cria STORED PROCEDURES. Todas suas Queries já se armazenam no banco, tentanto se esconder. Mas é inútil.
  • TRIGGERS tem este nome porque CHUCK NORRIS sempre ameaçava atirar no banco quando ele não fazia algo automático.
  • CHUCK NORRIS não faz Modelo de Dados. Ele encara o banco até que ele faça o modelo sozinho.
  • CHUCK NORRIS instala o ORACLE sem a interface gráfica. E sem a interface texto. (Pergunte-se como?)
  • Megabyte, Gigabyte, Terabyte, Petabyte, Exabyte,...,Chuckbyte.
  • ORACLE tem as versões Personal, Standard, Enterprise e ChuckNorris Edition. Mas nenhum computador é rápido o suficiente para rodá-lo.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Cinema - Ligações Perigosas

Abrindo mais um tema neste variado blog, hoje começo a falar do meu principal vício Cinema, vamos começar falando de um filme chamado "Dangerous Liaisons", traduzido como "Ligações Perigosas", um super clássico com 3 super estrelas: Glenn Close, John Malkovich e Michelle Pfeiffer, este sucesso é baseado no livro de Choderlos de Laclos (sinto mas não resisto a um bom livro).

Agora vamos ao que talvez você não sabia, existe um outro filme no Brasil com o título "Ligações Perigosas", com Russel Crowe e Ben Affleck (título em Inglês? "State of Play"), além de um outro que recebeu o título "Ligações Perigosas 2" a história é quase a mesma mas em um contexto mais atual, porém teve seu título mudado para o original "Cruel Intentions" e ganhou mais duas sequências "Cruel Intentions 2 e 3", no final receberam o título em português como "Segundas Intenções".

Outra curiosidade além das 3 fantásticas estrelas já mencionadas existem mais duas no filme que ainda estão emplacando suas carreira, lembra quem são? Uma delas é a menina seduzida (de quebra) por John Malkovich e o outro é o que vai duelar com ele no final. Exatamente, Uma Thurman (Pulp Fiction e Kill Bill) e Keanu Reaves (Matrix).

Deste modo, ficamos com três filmes que não podem faltar na sua videoteca: "Ligações Perigosas" (conta esse como dois) e "Segundas Intenções" (só o primeiro com a cena final ao som de The Verve - Bitter Sweet Symphony simplesmente o melhor).


Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 2 de outubro de 2010

Semana Assembly - Os Cinco Furiosos (Parte 5)

Hoje é o último dia dos 5 comandos transformados para linguagem Assembly. O comando de laço INDETERMINADO chamado do...while, possui a seguinte estrutura:

FAÇA
   alguma coisa
ENQUANTO algo não acontece

Tente não olhar para o código e realize o seguinte, dado uma String qualquer com n "*" mostrar na tela um quadrado, ou seja, uma String com "***", deve sair na tela:

***
***
***

Com "*****", deve sair em tela:

*****
*****
*****
*****
*****

Tente primeiro realizar esse trabalho... Pronto? Aqui está o código completo e comentado:

org 100h


.data

msg db "********",13,10,"$" ; definir o valor da String
                            ; 13,10 para saltar de linha
len equ $ - msg - 2         ; tamanho da String
cont dw 1                   ; usado para o laco

.code

beginning:

mov ah, 09                  ; mostrar a String
lea dx, msg
int 21h

inc cont                    ; adicionar 1 a cont
cmp cont,len                ; verificar cont e total
jne beginning               ; se nao sao iguais retorna

ret
 
Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Semana Assembly - Os Cinco Furiosos (Parte 4)

Veremos agora o primeiro dos comandos de repetição INDETERMINADOS, eles são chamados assim pois não sabemos (diferente do FOR) quando o comando terminará de repetir o laço. Veremos o comando WHILE, este comando possui a seguinte estrutura:

ENQUANTO algo não acontece
   repita isso

Para demonstrá-lo em Assembly, dessa vez aproveitando o clima de eleição, resolvi criar um programinha bem divertido, então não se assuste com seu tamanho pois está todo comentado, e recomendo que você o estude determinadamente:

include 'emu8086.inc'

ORG 100h

.data
cntA dw 0x000 ; Total de Votos para A
cntB dw 0x000 ; Total de Votos para B
cntI dw 0x000 ; Total de Votos invalidos

.code
printn "---------------------"

printn "Pesquisa"
printn "---------------------"
printn " A.Candidato A"
printn " B.Candidato B"
printn " 0.Fim"
printn "---------------------"

MOV ah, 1h    ; obter valor
INT 21h ;


laco:
CMP AL, '0'   ; verificar se 0
JE final      ; se sim terminar
CMP AL, 'A'   ; verifica se A
JE addA       ; se sim adicionar voto em A
CMP AL, 'B'   ; verifica se B
JE addB       ; se sim adicionar voto em B
JMP addI      ; adicionar voto a invalido
volta:
MOV ah, 1h    ; obter novo valor
INT 21h
JMP laco      ; retorna ao laco

addA:         ; adicionar voto em A
ADD cntA, 1
JMP volta
addB:         ; adicionar voto em B
ADD cntB, 1
JMP volta
addI:         ; adicionar voto em Invalido
ADD cntI, 1
JMP volta

final:
printn ""
printn "---------------------"
printn "Resultado foi:"
printn "---------------------"
print " Candidato A: "
MOV ax, cntA
CALL print_num
printn " votos"
print " Candidato B: "
MOV ax, cntB
CALL print_num
printn " votos"
print " Invalido: "
MOV ax, cntI
CALL print_num
printn " votos"

DEFINE_PRINT_NUM
DEFINE_PRINT_NUM_UNS
 
END
 
Veremos amanhã o último dos comandos e note como você já consegue desenvolver algumas coisinhas em Assembly, que afinal de contas não é uma linguagem tão complicada assim.
 
Abraços e até amanhã
Fernando Anselmo

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Semana Assembly - Os Cinco Furiosos (Parte 3)

Hoje começamos os comandos de repetição, o primeiro deles é o FOR, em Java ou C++ este comando é dividido em três partes:
  1. Inicialização
  2. Teste
  3. Incremento
A lógica deste comando é a seguinte: no primeiro momento os passos 1 e 2 são executados, caso o teste seja verdadeiro termina o laço, caso contrário executa o bloco com as intruções a repetir e os passos 3 e 2 até que o teste seja verdadeiro.

Em Assembly este comando pode ser descrito da seguinte maneira:

include emu8086.inc

ORG 100h

MOV AL, 1      ; fazer AL = 1  (Passo 1)
laco:
CMP AL, 10     ; comparar AL com 10
JG final       ; se AL > 10 saltar para o final (Passo 2)
PUTC '*'       ; mostrar '*' (bloco com as instruções a repetir)
ADD AL, 1      ; fazer AL = AL + 1 (Passo 3)
JMP laco       ; retornar ao laco

final:
END

As explicações estão no próprio código junto a cada comando. O FOR é um comando chamado de DETERMINADO pois sabemos exatamente quantas vezes as instruções serão repetidas.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Semana Assembly - Os Cinco Furiosos (Parte 2)

Mais um dia para a nossa semana Assembly, e no cardápio de hoje veremos o interessante comando SWITCH, originalmente ele era um dos Anões da Branca de Neve, porém foi tentar uma carreira solo e ficou perdido em comandos das linguagens C, C++, Ruby e Java com a sua quase eterna briga com o IF. Sua estrutura envolve um menu de opções que podem ocorrer, tal como:

switch (i) {
  case 1: faça 1
  case 2: faça 2
  case 3: faça 3
  default: se não fizer nenhuma delas
}

Em linguagem Assembly existe algumas maneiras bem diferentes de implementar este comando, porém prefiro a mais padrão que pode ser aplicada a todas as máquinas:

include 'emu8086.inc'
#MAKE_COM#
ORG 100h

.data
  value dd 3

.code

cmp value, 3


jge default
  cmp value, 0
je part0
  cmp value, 1
je part1
  cmp value, 2
je part2

part0:
  print 'Parte 0', 0
  jmp fim
part1:
  print 'Parte 1', 1
  jmp fim
part2:
  print 'Parte 2', 2
  jmp fim
default:
  print 'Default', 0
fim:

RET

Acredito que não exista o menor mistério nestes comandos, já que vimos todas essas instruções anteriormente.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

Semana Assembly - Os Cinco Furiosos (Parte 1)

Essa semana vamos incrementar nosso estudo da linguagem Assembly aprendendo como executar os cinco comandos que vemos em quaisquer linguagem, hoje é dia do IF. Em Assembly podemos dar saltos estruturados através da verificação de uma variável denominada ZF:

Se ZF = 1 (comando JE ou JZ)
Se ZF >= 1 (comando JGE ou JNL)
Se ZF <= 1 (comando JLE ou JNG)
Se ZF > 1 (comando JG ou JNLE)
Se ZF < 1 (comando JL ou JNGE)

Além de outros tipos de saltos (em breve estarei postando no meu site um cartão com um resumo de todos os comandos em Assembly). Vamos ao programa então:

include emu8086.inc
ORG 100h

MOV AL, 25
MOV BL, 25
CMP AL, BL
JE igual
PUTC 'N'
JMP parar
igual:
PUTC 'S'
parar:
RET

END


Neste programa enviamos para duas variáveis AL e BL o valor 25, em seguida executamos o comando CMP (Compara) que caso sejam iguais fará ZF = 1 (esse é o real comparador), em seguida se o resultado de JE for ZF = 1 realizará um salto para o label denominado igual, caso contrário o código segue seu caminho e mostra N e em seguida saltando para o label denominado parar. Ao entrar no label denominado igual mostra o valor S.

Observe que isso é como um IF de cabeça para baixo, seu fluxograma é algo como:

INICIO PROGRAMA
  FAZER AL = 25
  FAZER BL = 25
  COMPARAR AL e BL e se iguais FAZER ZF = 1
  SE (ZF = 1) SALTAR PARA igual
  MOSTRAR N
  SALTAR PARA parar
  igual:
  MOSTRAR S
  parar:
FIM PROGRAMA


Para solidificar ainda mais seus conhecimentos teste este programa com os outros tipos de saltos.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 26 de setembro de 2010

Literatura - Librivox

Hoje, não quero falar sobre um livro que estou lendo ou um Autor, quero falar sobre uma Biblioteca. Não é qualquer biblioteca, o termo Audioteca cairia melhor para ela. A idéia é simples, obter voluntários do mundo inteiro para ler obras que estão sob Domínio Publico.

Então imagine que voluntários da Inglaterra, Japão, EUA, Brasil e muitos outros países leiam obras de Shakespeare, Esopo, Coleções de Poemas, Contos de Horros, clássicos como Tarzan ou o Corcunda de Notre Dame em várias línguas, e deixam tudo isso gravado e disponível em MP3 simplesmente para você poder se familiarizar com os sons de outros idiomas sem pagar um único centavo para ninguém.

Você ainda pode colaborar sendo um leitor de obras e ajudar esse incrível projeto, pode ler em português mesmo ou quem saber treinar seu inglês? Pegue um capítulo da Bíblia para ler, grave e envie para a Librivox. Não perca tempo e acesse hoje mesmo esse incrível projeto, o endereço a seguir lhe abrirá o catálogo com todas as obras disponíveis:

http://librivox.org/newcatalog/search.php?title=&author=&status=all&action=Search

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

PS. Fique de olho nessa semana pois faremos a Maratona ASSEMBLY.

domingo, 19 de setembro de 2010

Literatura - Mundodisco de Terry Pratchett

Esqueça tudo o que você já ouviu sobre "Harry Potter" ou "Mundos de Magia" aonde Magos e Bruxas são levados à sério, estamos entrando em um mundo que possui o formato de um long-play, que é carregado por quatro elefantes que estão sobre uma tartaruga A'Tuin e essa é uma série onde realmente nada é o que se espera. O primeiro contato que tive com Terry Pratchett foi no livro "Good Omens" (traduzido no Brasil como "Belas Maldições") escrito em parceria com Neil Gaiman, fiquei então com as "antenas" (apesar de não ter isso) ligadas nesse escritor e comecei a ler a série de livro de "Mundodisco".



Mundodisco lida com um mundo de mágia, Magos, Cavaleiros, Heróis, Donzelas, andam neste mundo, e entre eles, Deuses, Duendes, Anões, Trols, Monstros Marinhos, e toda a sorte de coisas inclusive a "Morte" (em pessoa, ou melhor, em esqueleto), para se ter uma idéia da loucura tem o Grêmio dos Comerciantes, dos Mercadores e dos Assassinos. Pratchett deve ser lido com o máximo de cuidado, pois como o desenhista Sérgio Aragonés (conhecido pelos microdesenhos na MAD), ele sempre escreve nas entrelinhas, o mais cômico dos livros é quando um objeto ganha vida, como por exemplo uma mala (que possui várias perninhas e é fiel ao seu dono) ou um cajado (que possui um "ar" de cajado), no terceiro livro "Equal Rites" um mago tenta consolar um prédio de uma universidade pois está chovendo e ele está com medo (fico imaginando essa cena na minha mente).

Dizer que me diverti é muito pouco, curti cada segundo dos 32 livros (alguns já foram publicados aqui, mas cuidado, é preferível buscá-los pelo nome do autor do que pelo nome da série) até então publicados e fico ansiosamente aguardando uma nova história. Morro de pena que no Brasil não temos as coisas ao mesmo tempo que lá fora, já que além dos livros existem mais de 4 filmes desta hilária série e nenhum até hoje chegou aqui, quem sabe um dia.

sábado, 18 de setembro de 2010

Informática - Cartões de Referência

Na minha época de programador (a long time ago...) não dispensava de maneira alguma os "Cartões de Referência", ele "eram" extremamente úteis por conter de forma simplificada toda a informação que era necessária, abertos eles pareciam um grande mapa e fechados cabiam no seu bolso.

Como tudo na informática tem o seu período de evolução, atualmente, existe um novo modelo chamado de "Quick Reference Card" ou QuickStudy. QuickStudy é uma mistura entre um "Mapa Mental" e os "Cartões de Referência", e a ideia é colocar em 1, 2 ou 4 páginas (no tamanho de uma folha A4) o máximo de imagens, detalhes, descrições, fórmulas, ou seja, tudo que possa lhe ajudar a obter um conhecimento sobre "qualquer" assunto. Essa moda aqui no Brasil, com o nome de "Resumão", começou com o Vestibular e foi se expandindo até chegar em Concursos. Se você for a uma boa papelaria encontrará "Resumão" sobre Medicina, Engenharia, Veterinária, Advocacia, Línguas e até mesmo Informática.

No meu site http://fernandoans.site50.net/ (na seção de cartões), postei 2 QuickStudy sobre GIMP e APF, espero que seja úteis.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Informática - Férias? Não! Semana do Sufoco

É pessoal a informática tem dessas coisas, às vezes, depende do cargo que você está que férias começa a se tornar algo raro, e de vez em quando tem o que chamo de "Semana do Sufoco", sabe aquelas segundas que quando você repara já é sexta? E o pior fica tudo acumulado, normalmente se você está na faculdade é exatamente a semana de provas, se está dando aulas é a semana que ocorre um problema e você é encarregado para substituir alguém doente e por aí vai.

Enquanto estou vivendo meu "Umbral" (assista ao filme "Nosso Lar" que você irá entender), peço um pouco de paciência aos meus blogleitores, mas espero que isso logo logo normalize. Enquanto isso curtam o vídeo com a inauguração das fontes de Dubai: http://www.youtube.com/watch_popup?v=jD69C0y6_J0.

Notas de Quem Me Enviou: Esta é uma gravação da cerimônia de abertura da Fonte de Dubai.  Foi apelidado como o Show mais avançado tecnologicamente. A Fonte de Dubai custou E.U.$ 218 milhões. Jatos de água podem atingir até 50 andares de altura. Além disso, a fonte tem medidas de mais de dois campos de futebol (mais de 275 metros de comprimento).  É tão impressionante quando se está em plena exibição, que pode ser visto até 200 milhas em um dia claro.

[ ]´s
Fernando Anselmo
 
PS. Quem sabe minhas férias não será em Dubai...ai...ai

domingo, 12 de setembro de 2010

Literatura - The Graveyard Book de Neil Gaiman

Entre meus escritores favoritos Neil Gaiman com certeza ocupa um lugar de destaque, posso dizer que tenho com orgulho todos os seus livros e filmes publicados (e alguns raros). Conheci "The Graveyard Book" (publicado aqui no Brasil com o título "O Livro do Cemitério" pela Edt Rocco) no site do autor http://www.neilgaiman.com/ no qual sou um frequentador assíduo, e, em uma dessas visitas, minha maior surpresa, ninguém menos que o próprio Gaiman lendo o livro (COMPLETO) que tinha acabado de ser lançado, você ainda pode assistí-lo em http://www.mousecircus.com/videotour.aspx, fiquei imaginando se fizessem isso no Brasil, será que é por medo que ninguém vai querer com comprar o livro? Pois não apenas comprei a versão em inglês, como em português, coloquei o papel de parede no meu computador e continuo tão fã desse escritor Britânico como sempre fui.

O livro conta a história de um menino chamado "Nobody" que é quase assassinado, salvo por um fantasma e levado ao cemitério, adotado por um simpático casal (de fantasmas) Sr. e Sra. Owens, além de ser cuidado por um meio imortal chamado "Silas". No cemitério "Bod" (apelido do menino) faz amizade com todos os moradores do local sendo querido por todos enquanto o "Man Jack" (assassino de seus pais) continua a sua procura. Não poderia classificá-lo como um livro de terror, e isso nem passa perto, é apenas mais um livro que só o gênio de Neil Gaiman poderia criar.

Neil Gaiman era um roteirista de quadrinhos que um dia recebeu uma missão, dar uma nova vida ao herói "Sandman", ao invés de fazer isso ele propós uma roupagem completamente nova e criou os Perpétuos, são eles, Destiny, Death, Dream, Desire, Despair, Delirium que era chamada Delight, e Destruction (prefiro os nomes em inglês pois observa-se que todos começam com "D"). Gaiman não apenas teve sucesso com sua série, como elevou o mundo dos quadrinhos ao respeito do mundo literário, de lá para cá já é muita história, muitos livros, vários roteiros para TV e quatro filmes para o cinema (pena que Sandman nunca conseguiu ser filmado).

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Informática - Gordinhos da Informática

OK, eu confesso, sou maluco por Mac Donalds. Pronto! falei, alias isso não é nenhuma novidade para quem convive comigo, se existe um Mac perto é lá que vou comer, e confesso que amo muito tudo isso. Mas afinal de contas o que é uma alimentação saudável?

Durante toda minha vida profissional, nunca fui um bom exemplo a ser seguido no horário de almoço. Entre caixas de BIS e Coca-Cola de 1,5 litros, entre coleções de Tartaruguinhas que vinham no Kinder Ovo e coleções de coisas que vinham no Mc Lanche Feliz, ali estava meu "saudável" almoço, isso sem contar em 250g de Amendoim com Chocolate ou na falta deste pacotes com 50 paçocas de rolha. Minha gaveta era cheia de balas, pirulitos e toda a sorte do que poderia se dizer "Nem um pouco Diet". Café? só se fosse no copo de 500 ml. Conto tudo isso com orgulho? Nenhum. A única coisa que consegui com isso foi uma pré-diabetes, um peso que chegou a 140Kg, muitas noites mal dormidas, e outras coisas que não quero mencionar neste blog. Quando fiz 40 anos percebi que muita coisa estava errada então resolvi cortar tudo (exceto os Mac), balinha agora só de menta e não ficam na gaveta, café reduzi o copo e tomo com adoçante e comecei a andar.

Espero que possa aproveitar esse vídeo com algumas dicas sobre nutrição em self-service:



Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Informática - Linguagem Assembly - Parte 3a

Nessa terceira parte, aprenderemos como utilizar a biblioteca "emu8086" para facilitar a programação, o comando de chamada desta é:

include 'emu8086.inc'

Nessa biblioteca as seguintes macros estão disponíveis:
  • PUTC char - mostrar o char em ASCII na posição atual do cursor.
  • GOTOXY col, row - colocar o cursor em um determinada posição.
  • PRINT string - mostrar a string na posição atual do cursor.
  • PRINTN string - mostrar a string na posição atual do cursor, e descer para a próxima linha
  • CURSOROFF - apagar o cursor.
  • CURSORON - ligar o cursor.
E as seguintes procedures:
  • PRINT_STRING - mostrar uma String na posição atual do cursor e receber o endereço da string em registro DS:SI registo. É necessário declarar: DEFINE_PRINT_STRING.
  • PTHIS - idêntica a PRINT_STRING, mas recebe o endereço da string de Stack. A string terminada em zero deve ser definida logo após a instrução CALL.
  • GET_STRING - obtém uma string de um usuário, a seqüência recebida é gravada no buffer DS:DI, com o tamanho do buffer alocado em DX. Procedimento encerra quando for digitado a tecla "Enter". É necessário declarar: DEFINE_GET_STRING.
  • CLEAR_SCREEN - Limpar a tela. É necessário declarar: DEFINE_CLEAR_SCREEN.
  • SCAN_NUM - Receber o número de dígitos SIGNED multi a partir do teclado e armazena o resultado no registrador CX. Para utilizá-la é necessário declarar: DEFINE_SCAN_NUM.
  • PRINT_NUM - Mostrar um número de registo, assinada em AX. É necessário declarar: DEFINE_PRINT_NUM e DEFINE_PRINT_NUM_UNS.
  • PRINT_NUM_UNS - Mostrar um número unsigned no registo AX. É necessário declarar: DEFINE_PRINT_NUM_UNS.
Utilizando esta biblioteca, podemos criar o seguinte programa (compare-o com os outros já criados) para mostrar a palavra "Hello!" na tela:

include emu8086.inc

ORG 100h
PRINT 'Ola Mundo'
END

Agora como exercício, proponho que você crie o programa para obter dados (que veremos na próxima publicação).

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 5 de setembro de 2010

Literatura - Clive Cussler

Permita-me hoje falar de um grande escritor, Clive Cussler que criou diversos livros sobre o Diretor de Projetos Especiais da NUMA, chamado Dirk Pitt. Dirk vive uma série de tramas que envolve, constantemente, a destruição em massa. A imaginação de Clive só é comparada ao fracasso que, infelizmente, atingiu dois de seus livros quando foram adaptados para o cinema: "Resgate do Titanic" (1980) e mais recentemente "Sahara" (2005).

Os 20 livros sobre Dirk Pitt são fantásticos pela história envolvente de sua vida ao longo de todos os livros, com seu grande amor Summer Moran, seus filhos Dirk e Summer e a Deputada Loren Smith com seus olhos violetas. Enfim, Cussler deu vida a um maravilhoso personagem que é um apaixonado pelo Mar, Antiguidades (sua coleção envolve Carros, Aviões e até mesmo um trem), sua ácida e hilária amizade com Al Giordino (seu parceiro inseparável de aventuras) e seus opalinos olhos verdes que deixam loucas todas as mulheres e intimidados os homens. Dirk é quase um James Bond Marinho. Eis a relação de seus livros:

The Mediterranean Caper (1973)

Iceberg (1975)
Raise the Titanic! (1976)
Vixen 03 (1978) - Aparece Loren Smith
Night Probe (1981)
Pacific Vortex (1983)
Deep Six (1984)
Cyclops (1986)
Treasure (1985)
Dragon (1990)
Sahara (1992)
Inca Gold (1994)
Choques Wave (1996)
Flood Tide (1997)
Atlantis Found (1999)
Valhalla Rising (2001) - Aparece Dirk Jr. and Summer
Trojan Odyssey (2003) - Dirk finalmente se casa e adivinha quem aparece na festa?
Black Wind (2004)
Treasure of Khan (2006)
Artic Drift (2008)

Estes são os 20 livros publicados, e em 16 Novembro de 2010 aguardo a prometida e nova aventura de Dirk, chamado "Crescent Dawn".

Algumas Curiosidades:
  • O nome do filho de Cussler é Dirk Cussler, e é co-autor de seus livros a partir de "Black Wind".
  • Em alguns dos livros aparece um personagem, que normalmente ajuda o herói, chamado Clive Cussler.
  • Assim como Dirk a paixão de Cussler é o Mar (sendo inclusive um arqueólogo marinho amador) e Carros Antigos.
  • Cussler ainda escreveu 8 livros sobre Kurt Austin (outro explorador da NUMA) e 7 livros sobre os arquivos Oregon, além de um livro infantil e alguns livros de não-ficção sobre o Mar.
  • Existe também um livro de referência de Dirk Pitt, chamado Clive Cussler and Dirk Pitt Revealed (1998).
  • Clive é o fundador da National Underwater and Marine Agency (NUMA), uma organização sem fins lucrativos sobre a exploração marítma.
Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 4 de setembro de 2010

Informática - Lógica com Lógica

O melhor de escrever um livro é quando as pessoas fazem uma opnião sobre ele, seja esta boa ou ruim. No meu livro "Aplicando Lógica Orientada a Objetos" propus uma série de 100 exercícios para a prática e muitas pessoas reclamaram que não coloquei a resposta para que o resultado pudesse ser conferido. Minha resposta sempre a mesma: "não existe resposta correta ou resposta errada, se você faz o que o exercício pede então está certo, ninguém pode lhe dizer que sua lógica está errada". Lógica funciona assim, para que você praticar um pouco, peguei uma série de 5 exercícios de alguns livros:
  1. Maria e Manuel disputaram um jogo no qual são atribuídos 2 pontos por vitória e é retirado 1 ponto por derrota. Inicialmente cada um tinha 5 pontos. Se Manuel ganhou exatamente três partidas e Maria ficou no final com 10 pontos, quantas partidas eles disputaram?
  2. Em uma família há três mães, três filhas, duas avós, duas netas, uma bisavó e uma bisneta. Quantas pessoas compõem essa família?
  3. Robervaldo criava patos. Certo dia, um homem apareceu em sua fazenda e lhe ofereceu R$ 200 por pato e R$ 50 por ovo. No total, Robervaldo tinha 12 patos. Porém, dois deles eram de estimação, então ele resolveu não vendê-los. Os demais patos foram vendidos. Quantos reais ele obteve com essa venda?
  4. Se eu leio 5 páginas por dia de um livro, eu termino de ler 16 dias antes do que se eu estivesse lendo 3 páginas por dia. Quantas páginas tem o livro?
  5. Uma pessoa vai comprar um presente e leva R$1.200,00. Quando lhe perguntam quanto custou o presente ela disse: "Sobrou troco, mas não direi nem o troco nem o preço do presente. Digo apenas que o preço do presente, sendo lido ao contrário é o valor de 9 presentes.". Quanto custou o presente?
Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Informática - Perda do Equipamento

Faixas de pedestres, carros e motos é uma mistura que não combina. Ontem, infelizmente, eu era o cara da moto e resultado foi um ombro deslocado, um joelho ralado e o pior de tudo, um Notebook com tela rachada, desespero total. Muitas vezes sonhamos que nunca precisamos de um backup, se fosse calcular, somente este ano, quanta informação perdi, a conta seria assim:
  • No começo do ano um notebook formatado, um HD com 100 Gb perdidos
  • Um pen-driver sumido, mais 2 Gb perdidos.
  • Um desktop de casa trocado, mais 80 Gb perdido.
  • Saldo: uma vida inteira de dados que nunca mais vou ter.
Um notebook quando racha a tela seu primeiro pensamento é... (não posso dizer nesse blog), depois você respira fundo, medita, coloca um aroma de Sândalo para acalmar e começa a avaliar suas reais possibilidades. A primeira delas é arrumar um monitor novo para poder retirar os dados, no meu não existia um FN+F4, ou, qualquer tecla similar para transferir a imagem, por sorte ainda sobrou um quadradinho de 3x7 cm estava funcionando no canto superior, e minhas esperanças estavam nesse quadradinho. Tive que acessar o Windows XP, depois propriedades de vídeo, avançada e finalmente chegar no aplicativo que promovia a troca. Para meu alívio consegui, por volta das 23:58, ter a imagem do meu pré-falecido Note na tela, agora era transferir os dados. Segundo trabalho foi mais fácil, já que uso a maravilhosa tecnologia Wireless em casa, deste modo bastou uma pasta compartilhada para começar a transferência de mais de 200 Gb de informação salva e a promessa de mais uma vez começar um backup.

Como diria Murphy, um equipamento elétrico sempre dará problema e acontecerá quando não puder dar problema, então, nunca esqueça de atualizar seus backups. Atualmente, um DVD pode ser adquirido por R$ 0,60 e cada um guarda 4,33 Gb de informação preciosa, ou seja, com R$ 6,00 podemos preservar 43,30 Gb e isso irá demorar no máximo 30 minutos. Faça as contas e tente não sair perdendo.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Informática - Não se apegar

Agora são 22:09 e acabei de chegar em casa após mais um dia de muito calor em Brasília. Estava no caminho me lembrando de uma bela tradição budista que vem dos monges do Tibet. Eles criam uma mandala feita com areia colorida, cada detalhe é realizado com uma precisão de um relojoeiro suiço e o mais mínimo erro pode significar um mês de trabalho perdido. Pois bem, cada mandala leva de dois a cinco anos para ficar pronta, é sabe o que eles fazem? abrem as portas que segurava o vento, e em poucos segundos advinha o que acontece. Eles explicam que isso mostra bem que não devemos nos apegar as coisas (veja mais detalhes em: http://afenixquerenasce.blogspot.com/2010/01/mandalas-de-areia-arte-da-impermanencia.html)

Lembre-se, aquele sistema que você desenvolveu, analisou, criou, não é o "Seu Sistema" e sim de um usuário que pagou pelo seu serviço, então, tente não se apegar demais as coisas, pois como diz no texto: "Panta Rei".

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 29 de agosto de 2010

Literatura - Luna Sangrienta de Ramsey Campbell

Agora são 21:20 de um calorento domingo. Com um título desses se imagina logo um livro de lobisomens, que andam com um peitoral sarado desnudo fazendo suspirar as mocinhas no cinema. Nada disso, nada de lobisomens e muito menos sangue, inclusive quase não existe morte no livro (a não ser de um calango albino que morre pisoteado logo no começo). Esse é mais um daqueles casos de tradução de capa mal feita pois o título original é "The Hungry Moon", e, infelizmente esse livro não se encontra em Língua Portuguesa, por isso citei o título em espanhol.

A história é bem interessante e se passa em uma cidadezinha no interior da Inglaterra, chamada curiosamente de "Moonwell", onde a população mantêm uma antiga tradição druída bem estranha, uma vez por ano colocar flores em volta de um grande buraco. Um carismático evangelista, chamado Godwin Mann, aparece e muda a vida de todo mundo. Agora com 90% da cidade formada de crentes radicais, com direito inclusive a queima de livros considerados satânicos e quase uma caça às bruxas, a história vai se desenrolando e dando voltas sobre voltas.

Se percebe pelo nome dos personagens que Campbell tem um humor bem sutil e típico dos britânicos. Este é um livro antigo de 1988, porém foi o ganhador do British Fantasy Award, como a melhor novela. Recomendo sua aquisição em lingua espanhola ou no original em inglês, pelo menos você pode treinar um pouco.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Empregabilidade - Conhecimento e Estudo

Agora são 21:16, intervalo da faculdade e vamos blogar. É de conhecimento público que devemos estar sempre a frente dos nossos concorrentes na vaga daquele tão almejado cargo. Um comentário interessante que ouvi essa semana foi: "Vou arrumar um emprego para poder estudar". Não seria o contrário?

Quero lhe propor um rápido questionário, responda como se auto-avalia com uma pontuação de 0 a 10 para os seguintes quisitos básicos (sendo 0 como sou fraco nesse assunto e 10 como poderia até dar aula):

1° Item. Língua Portuguesa (para escrever Relatórios para o usuário, roteiro de Atividades,...)
2° Item. Matemática (para estabelecer cálculos relativos a Custos de Projetos)
3° Item. Leis (para saber avaliar um Processo de Licitação e analisar a Contratação de Funcionários)
4° Item. Cálculo de Juros (para saber o quanto vai custar quando o projeto atrasar)
5° Item. Falar em público (para poder expor suas idéias com clareza)

Se seu conhecimento se limita exclusivamente a Linguagens de Programação e Tecnologia, boa sorte pois provavelmente aquele emprego para Desenvolvedor pode ser seu. Agora, se você é nota 10 nos cinco itens então, basta um certificado específico que a vaga de Gerente ou Coordenador de Equipe é sua.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Vício - Papercraft ou Papermodel

Agora são 20:00. Estou no intervalo da Faculdade, e a partir deste artigo resolvi criar um novo tópico para às quinta-feiras - Vícios - porque o vício tem que ser um perjorativo para algo ruim, poderia até mesmo chamá-los de "hobbies", porém quero considerar que existem bons vícios e alguns são extremamente desestressantes sem causar qualquer mal, e são desse tipo que pretendo citar aqui.


Abrindo este tópico, Papercraft, são modelos recortados de papel em formato 3D (não confunda com Origami) antigamente isso vinha no verso da Caixa de Sucrilhos, atualmente os modelos são vendidos como revistas (mais nos EUA e Japão), no Brasil somente em lojas muito especializadas. Resta a alternativa fácil e barata que é procurar e imprimir os modelos. O material necessário para manter esse vício:

1. Folhas de Papel A4 - Preferencialmente com 90 mg/r
2. Caneta BIC vazia (para fazer as marcações para dobrar melhor)
3. Tesoura
4. Cola

Obviamente estou debitando o custo de uma boa impressora colorida e tinta. Para obter os modelos recomendo que você visite os seguintes sites:

1. Básico: http://cp.c-ij.com/en/contents/1006/
2. Avançado: http://www.papercraftmuseum.com/museum
3. Completamente viciado: http://www7a.biglobe.ne.jp/~sf-papercraft/index.html

Lembro que para todos os modelos, exige-se uma grande dose de paciência (já passei mais de meses para realizar alguns). Então, seja bem vindo a este viciante mundo de papel e comece a montar seus Carros,  Trens, Barcos, Plantas,...

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Informática - Os vícios que a vida nos dá

Agora são 22:17 (já que o blog é meio doido para marcar a hora, resolvi começar sempre deste modo), sabia que todo desenvolvedor tem um vício? E que este vício nada tem a ver com a área de informática e normalmente é utilizado para desestressar. Durante esses 25 anos, resolvi coletar alguns vícios principais que os colegas dizia que possuia, vamos a uma TOP Relação:

1°) Músico, a grande maioria das pessoas que está na área de informática é músico, não tem jeito esse vício é o grande campeão.

2°) Colecionador, nesta categoria vale de tudo, de selos a cartões telefônicos, de amostras grátis a discos de vinil, de filmes em VHS a revistinha em quadrinhos, observa-se que todas as coleções são de coisas velhas ou ultrapassadas.

3°) Transcendental, consultor de Astrologia, faz leitura de Runas, porém, entre todos esses, Tarot é o grande campeão, parece até que vem como vale brinde em cursos de programação, tipo assim: Faça um curso de 40 hrs de Java e ganhe de graça um curso de Tarot Cigano.

4°) Pintura, só dá artista nessa área, pessoalmente conheço oito artistas plásticos, alguns são fantásticos e outros maravilhosos infelizmente esse tipo de arte no Brasil ainda não é bem encarado, e o artista acaba fazendo arte só nos programas.

5°) Criador, de ovelhas, galinhas e cavalos, sendo assim a fazenda, sítio ou granja torna-se o ponto de refúgio no final de semana.

E você? Qual é seu vício?

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Informática - Horas e horários

Gerenciamento do tempo já foi falado em muitas ocasiões, no meu livro "O Palestrante Empresarial" falei da importância de aproveitar bem o tempo, uma hora é uma hora, e possui 60 minutos, você precisa saber gastá-los bem. Se seu horário de trabalho é às 08:00, isso não é às 08:30, ou 08:40. Se você marca com um colega para se encontrar às 12:00, acredito que não irá gostar nem um pouco se ele chegar às 12:45, cada minuto do dia é precioso.

Estou em casa neste momento e acabei de voltar da faculdade, no meu relógio são exatos 20:46 minutos, não sei porque meu blog apresenta alguns horários malucos, tipo 17:54 da sexta-feira (postei esse blog quase na virada para o sábado), ou 15:35 da quinta-feira (postei o blog no intervalo do lanche na faculdade), sabe como acabo me sentindo? Parece que tem dois "EUs", um que está trabalhando e fazendo tudo o que tem que fazer e outro que está fazendo outras coisas, ou fantasiando mais ainda, é como se conseguisse entrar em uma máquina do tempo e voltar e enquanto meu outro está lá trabalhando, estou escrevendo o blog, para isso preciso estar em casa pois a página lá do serviço é bloqueada, sem contar que levo mais ou menos de 20 a 30 minutos para escrever, revisar e realizar uma postagem sendo deste modo  impossível escrever o blog enquanto estou trabalhando.

Bem, agora que já exemplifiquei o assunto tempo, observe que isso foi apenas para dizer: "Aproveitem todos os minutos do seu dia, e concentrem naquilo que realmente devem fazer pois infelizmente não existe tal máquina que me permite voltar no tempo". Irei agora clicar no "Publicar Postagem" e são exatamente 21:00, espero que seja isso que acuse no horário de hoje (senão, então mais uma vez consegui viajar no tempo).

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

PS. Já pensou em possuir um relógio de papel? Que funciona de verdade? acesse: http://www.sr-fraude.com/

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Projeto - Iniciando um Projeto (Banco de Dados)

Há alguns blogs atrás (em uma galáxia muito distante... não resisti) debatemos sobre os bancos de dados livres e em seguida como definir e valorar um projeto (lembra?), neste tópico vamos entender como escolher o Banco de Dados.

Escolher o BD para o nosso sistema envolve dois detalhes. O primeiro é chamado "Afinidade", os analistas normalmente gostam de um determinado banco (e como a linguagem), vamos parar com a frescura de dizer que o MySQL é melhor do que o Postgres, ou vice-versa, isso é simples e mera utopia. Hoje em dia, a tecnologia se encontra em um estágio tão avançado que a diferença entre os bancos de dados torna-se mínima, é como ouvir a Nona Sinfonia de Bethoven em MP3 e dizer que está diferente da original (a menos que você tenha um ouvido extremamente previlegiado e consegue cantarolar a Caprice No. 24 de Niccolo Paganini). Para o sistema que estamos desenvolvendo para aquele amigo que abriu um consultório dentário qualquer banco é banco. Então sua escolha resume-se ao simples conceito chamado "Afinidade". Ou seja, qual banco você consegue administrar sem o menor problema? Esse é o banco que deve ser escolhido, seja ele, MySQL, Postgres ou qualquer outro.

O segundo detalhe envolve "Valor", vamos supor que você tenha afinidade com o MS SQL, seu cliente vai pagar o preço da licença? ou um salário de um DBA para futuramente administrar o BD? ou aumentar o HD para aguentar toda área de "Storage"? Deste modo, coloque sempre na balança esses dois detalhes para escolher seu banco: "Afinidade" e "Valor".

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 22 de agosto de 2010

Literatura - O Livro do Destino de Brad Meltzer

Bem, Dan Brown começou agora ele que aguente, seu mais Maçônico livro chama-se "O Símbolo Perdido" que é uma espécie de continuação para fechar uma trilogia de Robert Langdon (Lembra de Tom Hanks em "Anjos e Demônios" e o "Código de DaVinci"). As pessoas não perdem tempo em tentar comparar, ou mesmo criar, em um outro inigualável autor para que este seja o "novo" Dan Brown.
 
O cenário é Washington e a Maçônaria: Brad Meltzer revela um segredo mais protegido que o próprio 4 de Julho, Wes Holloway, é um assistente presidencial ambicioso e extremamente arrogante, e complicou sua vida através de Ron Boyle, o melhor amigo do presidente, em uma viagem na limusine presidencial. Quando essa viagem terminou, Wes havia ficado permanentemente desfigurado e Boyle estava morto, vítimas de um assassino demente. Oito anos mais tarde, Boyle é descoberto, vivo e em perfeito estado de saúde, na Malásia. E nesse momento, Wes tem a oportunidade de desfazer o pior dia de sua vida. Na tentativa de averiguar o que aconteceu, Wes deve enfrentar um quebra-cabeças presidencial que já tem dez anos de antiguidade, e constatar que existem misteriosos fatos enterrados na historia da maçônaria que remete a um código de duzentos anos criado por Thomas Jefferson.

Espero que você possa aproveitar esse fantástico lançamento justo e perfeito da Editora Planeta, carregado de simbologia, esoterismo e muitas horas de fantástica diversão.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Empregabilidade - Mantenha-se atual

Pessoas ligadas a área tecnológica sempre possuem um site e participa de redes sociais (como o Orkut ou o Facebook), redes profissionais (como o Linkedin), entre milhares de outras associações virtuais, porém fica sempre a pergunta: "As informações a seu respeito, estão atuais?"

Quando falamos em informações atuais, não quer dizer apenas a linguagem, o sistema ou o curso de Inglês ou Espanhol, também quer dizer todo o seu cadastro, isso implica em todos os lugares onde você esteja participando. "Em casa de ferreiro o espeto é de pau", visitando meu site (http://fernandoans.site50.net/) descobri que estava com o curriculo completamente desatualizado (além do site inteiro), fui atualizar e tive a surpresa que a minha senha do FTP estava presa e não conseguia fazer o upload necessário, depois de uma novela consegui finalmente atualizar o currículo e me prometer que este final de semana irei atualizar todo o resto do site (e esperar para ver).

Então meu caro leitor, aproveite esse final de semana para colocar sua vida virtual em ordem e venha fazer parte do "Primeiro Mutirão de Atualização na Web".

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Informática - Linguagem Assembly - Parte 2

Em alguns blogs passados vimos como dar saída de texto em linguagem Assembly. Como segunda aula, veremos um pouco da estrutura, podemos escrever nosso programa de modo totalmente procedural, isso significa que isolamos o código em partes lógicas.

Vamos analisar o seguinte código: 

ORG 100h
 
MOV AH, 0Eh
MOV AL, 'H'
INT 10h
CALL m1
MOV AX, 2
MOV AH, 0Eh
MOV AL, 'L'
INT 10h
RET
 
m1 PROC
 MOV AH, 0Eh
 MOV AL, 'A'
 INT 10h
 RET
m1 ENDP
 
END

 
Já conhecemos quase todos os comandos, pois foram vistos anteriormente. Este programa começa preparando a saída de vídeo e mostra uma determinada letra. Em seguida, entra um comando novo chamado CALL, esse causa um desvio no código chamando uma PROC (descrita mais abaixo) chamada 'm1'. Observe que dentro desta procedure devemos iniciar novamente a saída de vídeo para mostrar a próxima letra. O final da procedure está delimitado pelo comando ENDP. O código retorna então ao ponto de chamada e mais uma vez, devemos reiniciar a saída de vídeo para mostrar a última letra, formando o nome do computador de "2001 - Uma Odisséia no Espaço".
 
Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo
 
Curiosidade: Aumente uma letra e descubra o nome da empresa que, na época que este livro foi escrito, dominava todo o mercado de informática, também apelidada de "Big Blue".

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Projeto - MM com EAP

Calma não se trata de uma receita de doce, provavelmente se fosse seria bemmmm calórica. Estou falando de duas simples técnicas aliadas que qualquer bom analista conhece, trata-se de Mapas Mentais e Estrutura Analítica do Projeto.

Mapas Mentais, ou Mind Mapping, surgiu através da mente de Tony Buzan, e vem se tornando uma imprescindível ferramenta no auxílio a estudos. O método é extremamente simples em uma folha de papel, bem no centro, coloque a idéia principal, por exemplo: Férias. Agora puxe dessa idéia tudo o que lhe vem a cabeça, por exemplo, reservar, separar, revisar, guardar. Agora vamos pegar o primeiro item: reservar, o que lhe vem a cabeça? hotel, passagem (aérea ou terrestre), e vá fazendo isso com cada item, no final teremos um belo diagrama que representa suas Férias.

EAP, ou Work Breakdown Structure (WBS), é um método para dissecar um projeto em suas partes essenciais e deste modo ter uma visão simplificada de todo o processo. Normalmente, este trabalho deve ser fragmentado até um nível que possibilite o controle por parte do Gerente do Projeto. Além disso, dizem que o ideal é que tenha um mínimo de 8 horas e um máximo de 80 horas.

Duas metodologias excelentes, então porque não juntá-las? O artigo Mind Mapping A Better WBS (localizado em http://www.projectsatwork.com/article.cfm?ID=251386) trata exatamente deste tema, como não quero ser acusado de plágio (coisa que meus críticos adoram fazer) deixo o endereço e o local para que você possa se deleitar com a leitura.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

PS. É necessário ser cadastrado para ler o artigo, o cadastro é gratuito.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Informática - Produtividade x Tecnologia

"O computador é uma máquina inventada para resolver problemas que não existiam antes dele ser inventado" e as novas linguagens para complicar o uso do computador. Sou de uma época na qual as liguagens eram executadas em processos denominados batch, o usuário não possuia qualquer controle, isso tudo era a magia da informática onde seus técnicos eram considerados alquímicos.

Atualmente temos os navegadores e os sistemas tem 100% de participação do usuário e essa participação deve refletir cada vez mais no sistema, por exemplo, para escrever este blog estou utilizando um (excelente) sistema que me fornece todas as facilidades para expor minhas idéias, destacar determinada parte do texto. Porém, como fica a produtividade do desenvolvimento de um sistema como este? Sei que na minha época o máximo de saída que produzíamos eram relatórios, e isso era feito em uma impressora matricial que tinha um único tipo de fonte. Hoje temos milhares de saídas, até mesmo em celular, além de milhares de fontes, temos perfis profissionais que não existiam, tais como, Designer, Analista de Métricas ou Testador. Hoje, para realizar um PF em Java, em ambiente Web, para uma Fábrica de Software consideramos o valor de, na melhor das hipóteses, 8 horas, isso significa um dia inteiro do trabalho de um profissional, apenas para um único ponto, imaginemos então um sistema com 3.000 PF (considerado de médio porte).

Quanto mais detalhes um sistema possui, mais baixa é sua produtividade, essa "lenda" de reaproveitamento, bibliotecas prontas, entre outras maravilhas que inventamos só funcionam em um único ponto, quando a equipe de construção trabalha como uma Orquestra Sinfônica (já perguntou para um músico quanto tempo ele passa ensaiando?). Sinto meu amigo, produtividade está inversamente proporcional a tecnologia, se não houver muito estudo e treinamento da equipe o máximo que aquela nova biblioteca irá dar ao seu sistema é uma grande dor de cabeça. Por isso sou fã da filosofia: KISS.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Projeto - Iniciando um Projeto (o quê e quanto)

Lembra daquele colega que estudou com você no segundo grau e se formou em odontologia? Pois é, depois de alguns anos ele telefonou e deseja lhe contratar para desenvolver um sistem para o consultório, para isso precisa saber duas coisas, o quê e quanto? O quê muitas vezes é mais simples que o quanto, pois esse último leva em questão uma série de fatores, entre eles, a amizade (mesmo sendo distante).

Para iniciar este tipo de trabalho, recomendo realizar uma Modelagem Conceitual, uma excelente ferramenta é a brasileira brModelo (encontrada no site http://www.sis4.com/brmodelo/). Esse tipo de modelagem irá definir o esqueleto do banco de dados com esse podemos levantar mais dados e ajudar a responder O quê. Com essa modelagem correta podemos realizar uma contagem de PF (Pontos de Função) denominada Indicativa, esta é baseada exclusivamente na quantidade de tabelas que o sistema utilizará. Esta contagem leva em consideração o somatório da tabelas que o sistema realizará um CRUD (sigla para inserção, consulta, alteração e exclusão dos dados) multiplicado por 35 e o somatório das que o sistema utilizará apenas como consulta e/ou geração de relatórios multiplicado por 15.

Agora vamos a parte mais divertida, feito isso teremos uma idéia de como será a aplicação e quantos PF ela possui, agora pegue o valor de quanto você acha que deveria ganhar por mês para realizar esse trabalho em regime PJ, divida esse valor por 22 em seguida por 8 e deste modo teremos o seu valor de hora.

Agora que temos todas as peças podemos juntar o quebra-cabeças, cada PF demora uma determinada quantidade de horas para ser executado (Java/JSF: 12 horas, Java/JSP: 8 horas, Java/Struts: 10 horas, PHP: 10 horas, ASP: 8 horas, dependendo da linguagem escolhida existe um valor histórico), então vamos supor que o sistema será desenvolvido em Java/Struts, então pegamos o seu valor de hora e multiplicamos por 10 e em seguida pelo Total de PF e teremos a resposta para o quanto.

Resumidamente:
  1. Realizar um modelo conceitual do banco
  2. Para cada tabela que o sistema irá tratar somar 35.
  3. Para cada tabela que o sistema irá consultar somar 15.
  4. Guardar esse resultado como valor PF.
  5. Calcular quantas horas vale seu trabalho.
  6. Verificar a linguagem do sistema e obter a produtividade.
  7. Valor do sistema = PF * Produtividade * ValorHora
Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 15 de agosto de 2010

Literatura - O Perfume de Patrick Süskind

No meio da semana já dei a dica de era o livro que estava lendo, pois muitas vezes um livro não é o que parece ser, com o título oficial de "O Perfume - A História de um Assassino" do escritor alemão Patrick Süskind, este livro parece ser apenas mais um de história policial, entretanto não é, ele é uma viagem ao exótico mundo dos aromas e sensações.

A história narra a vida de Jean-Baptiste Grenouille que nasceu com um dom completamente especial, um bom faro e nenhum odor, imagine uma criança que pode localizar e identificar cheiros a metros de distância e esta mesma criança não possui odor, o que faz desse livro ser mágico, a trama é fantasticamente bem elaborada, sendo um livro que prende o leitor da primeira até sua conclusão (que nem nos meus sonhos mais loucos conseguiria concebê-la). Este livro foi transformado em filme e no elenco atores como Dustin Hoffman e Alan Rickman.

Ambos valem a pena e são diversão garantida, no Brasil o livro é publicado pela Editora Presença.

Abraços e Até a próxima
Fernando Anselmo

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Empregabilidade - Mentira tem perna curta

"Possuo o domínio completo de Inglês, Japonês, Árabe, Hebreu e Otomano. Além disso consigo desenvolver de modo Ágil e Scrum em várias linguagens entre elas, Java, Ruby, Cobol e UML. Sou o responsável por todos os sistemas e peça fundamental na minha empresa...". Isso, entre outras coisas que estavam escritas no currículo.

E esse gênio estava bem na minha frente, porém ao invés de me impressionar com o desenrolar da entrevista e pensar em contratá-lo, comecei a me perguntar:
  • Como é que um profissional desses não possui um emprego desde 2000?
  • Pelo domínio que diz ter em ITIL, Java, entre outras tecnologias como ainda não conseguiu tirar um único certificado? 
  • Como pode ser um profissional que adora trabalhar em grupo se no seu currículo não existe um único trabalho assim, além disso, em todos os cantos escuto e leio o pronome muito pessoal "Eu"?
  • E finalmente, como esse mesmo profissional que pede R$ 8.000,00 aceita na hora uma oferta de R$ 1.200,00?
As respostas são extremamente simples, "nem tudo o que reluz é ouro". O pior tipo de profissional é o que mente, muitas vezes mente tão bem que chega a enganar a si mesmo, transformando tudo aquilo que diz (por mais estranho que pareça) em verdade. Porém, basta este iniciar o trabalho, que realmente, toda a podrid..., ops, a realidade vem a tona, boiando marrom na superfície.

Atualmente, as empresas aprenderam a realizar uma prova técnica antes de contratar quem quer que seja. A prova normalmente envolve conceitos de lógica, língua inglesa, o assunto técnico que está previsto como conhecimentos obrigatórios. Deste modo, antes de escrever algumas lendas no seu currículo, pense que isso pode ser dissipado e impregnar de um modo tão forte que nem tão cedo você poderia aspirar a novos contratos de trabalho.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Informática - Qual o cheiro da Informática?

Passei esse final de semana com um livro na cabeça, chamado "O Perfume" de Patrick Sueskind, provavelmente você deve ter visto o filme. Adoro essências, óleos aromáticos, cheiros, aromas, e tenho em casa uma coleção com mais de 50 cheiros.

Essa semana resolvi verificar minha coleção, e atualizá-la comprando mais alguns. Pois bem, no meio de cheiros tradicionais como, nome de flores (pitanga, orquídea, rosa), cítricos (limão, laranja, tangerina) e óleos (eucalipto, menta, benjoin) descobri que existem alguns cheiros completamente duvidosos, tais como, Floresta (que não tem cheiro de grama molhada ou tronco velho), Felicidade (que não me deu nenhuma felicidade ao cheirar), Anjo (não sabia que tinham conseguido capturar um para saber o cheiro), Yansã (pelo que me consta era uma deusa), Sol (que não tem cheiro de queimado), Lua (que não tem cheiro de queijo), e alguns indiscutíveis e esquisitos como Chama Dinheiro, Amor, Paixão, Solidão e Água Fresca (isso tem cheiro de que? Pelo que aprendi em Química à água é inodora), entre muitos outros nomes curiosos. Então me veio a dúvida, qual seria o cheiro da Informática? Se fosse criar um aroma para a informática qual seria esse cheiro?

Talvez a fórmula fosse a seguinte:

5 gotas de baunilha (representa reflexão)
6 gotas de menta (representa vitalidade)
4 gotas de erva-doce (representa longevidade)
8 gotas de lavanda (representa anti-stress)
4 gotas de alfazema (representa harmonia)
3 gotas de mirra (representa renovação)

Isso tudo misturado com bom-senso e muita lógica.

Abraços e até a próxima.
Fernando Anselmo

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Informática - Linguagem Assembly - Parte 1

Estou fazendo atualmente faculdade, e tenho a matéria entitulada "Desenvolvimento de Sistemas de Informação", nesta o Professor pediu um trabalho sobre uma determinada linguagem, fiquei encarregado de realizar sobre a linguagem Assembly (alguns falam: Assembler, entretanto este é o nome do compilador).

Bem, como bom programador exagerado que sou, resolvi estrapolar um pouquinho e construir um SO, matando inclusive saudade dos meus anos de programador Assembly. Entretanto, aqui vamos realizar algo mais simples e aprender um pouco dessa linguagem através de um novo enfoque, não aquele comumente é encontrado no qual a pessoa deve primeiro dominar as bases binárias e hexadecimais para conseguir escrever algo. Quero ensinar Assembly como aprendi, através de exemplificações simples.

Como primeira ato, precisamos de um ambiente, existem vários e alguns são os mais utilizados, são eles:
  • TASM - Turbo Assembler da Borland, atualmente se encontra na versão 5.0 (http://info.borland.com/borlandcpp/cppcomp/tasmfact.html)
  • MASM - Microsoft Assembler (http://www.masm32.com)
  • Emu8086 - Emulador para o ambiente 8086 (http://www.emu8086.com/)
 Entre estes, utilizaremos Emu8086, deste modo, visite o site indicado e baixe a versão, a licença dura em torno de 90 dias, tempo mais que suficiente para realizarmos alguns testes e se você realmente sentir gosto pela linguagem, U$ 19,95 não mata ninguém.

Nosso Primeiro Programa

Ao terminar de instalar o Emu8086, execute-o e estaremos no ambiente, depois você pode verificar os "Code Examples", mas como primeiro programa quero realizar um prático "Hello World", então selecione "New" e nas templates selecione "COM template", será montado o seguinte trecho de código:

org 100h
; add your code here
ret

A primeira instrução informa ao compilador que este deve gerar um executável do tipo COM e a última sai do programa (em Java seria algo como "return"). Iremos inserir outras instruções entre um comando e outro:

org 100h
MOV AH, 0Eh
MOV AL, 'H'
INT 10h
MOV AL, 'e'
INT 10h
MOV AL, 'l'
INT 10h
MOV AL, 'l'
INT 10h
MOV AL, 'o'
INT 10h
MOV AL, '!'
INT 10h
ret

A primeira instrução seleciona o modo de subfunção para iniciar a impressão de um texto, a próxima define o caracter H para a saída de vídeo e INT é abreviatura de interrupção, esta linguagem trabalha com interrupções, entenda isso como se você estivesse fazendo alguma coisa e alguém lhe interrompesse solicitando que você fosse fazer outra. No caso "INT 10h" é a de vídeo. Essa dupla de comandos é repetida sucessivamente até formar o trecho desejado.

Para executar nosso programa, clique no botão "Emulate" e em seguida em "run" e teremos a palavra "Hello!" escrita na tela.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

Dica: Visite a seguinte página para conhecer outras interrupções http://www.htl-steyr.ac.at/~morg/pcinfo/hardware/interrupts/inte1at0.htm.