domingo, 4 de novembro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - Manobras

Pensemos em manobras da mesma forma como pensamos em movimento. Inicialmente devemos formar o exército, que é realizado através da ordem do Soberano. Conhecer como transpor um obstáculo ou transformar uma desvantagem em vantagem. Devemos ter consciência de um termo chamado de fragmentação. Muitas vezes, podemos ter que abandonar um determinado local, porém devemos deixar um número necessário de modo a salvaguardar o que ali deixamos para trás.

Repare nos programas de pescaria, observe como aqueles peixes enormes são retirados da água, e principalmente observe que ao final o repórter sempre agradece ao guia local por ter proporcionado o bom local de pesca. Ou seja, em um local desconhecido devemos sempre utilizar pessoas que conhecem bem a região. O movimento das tropas imita a natureza sendo de vital importância haver boa comunicação entre os líderes e os liderados, vivemos em uma época de altíssima comunicação, várias são suas formas e devemos usar todos os meios a nossa disposição para que ela se torne mais clara possível.

O último conselho de Sun Tzu neste capítulo é “Não encurralar o inimigo”, isso pode soar estranhamente, mas é uma grande verdade principalmente se pensarmos que alguém que não tem mais nada a perder lutará com uma força sobre humana podendo inclusive virar o jogo.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 27 de outubro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - Pontos Fortes e Pontos Fracos

"Deus ajuda quem cedo madruga", por quantas e quantas vezes ouvimos essa frase e agora é Sun Tzu quem a reintera, quanto mais cedo chegamos ao local da batalha mais rápido podemos nos organizar e preparar para ela. É melhor lutar com tropas descansadas. Outro ponto de poder é conduzir o inimigo a sua vontade, ou seja, que ele faça o que você deseja. Uma estratégia simples e muito fácil de aplicar: Aprenda a Arte do Engodo. Isso é muito utilizado pelos mágicos quando o truque é realizado com a mão direita chama-se a atenção para a mão esquerda.

Faremos uma pequena reflexão: "Porque estamos nessa vida?", pare de ler e pense um pouco. O que você acredita que estamos fazendo aqui? Simplesmente estamos? Somos parte de um plano? Pessoalmente acredito que tudo isso é pensamento bobo. Estamos aqui para atingirmos a um determinado grau de conhecimento (poderia usar o termo para evoluirmos espiritualmente). Devemos começar a tomar posse da nossa vida, parar de sofrer pelos outros, parar de sofrer pela vida, no dia que paramos de sofrer pela vida a vida melhora. Pense nos problemas como o inimigo a vencer, então qual seria a primeira estratégia? Sigamos  o que Sun Tzu falou: dividi-los e compreendê-los. Atacar um problema por vez é a solução. Aprendi ao longo dos meus 46 anos que, os problemas se dividem nas seguintes categorias:
  • Problemas insolúveis - Por exemplo: Você vai morrer. Isso é um fato e não um problema, então apenas aceite.
  • Problemas solúveis - Por exemplo: A dívida do carro. Isso é resolvido com dinheiro, então na verdade o problema não é a dívida mas como arrumo dinheiro, posso trabalhar, fazer horas extras, vender alguma coisa, então devo conhecer qual é o real problema (verdadeiro inimigo) para saber qual a real estratégia a seguir.
Vejo pessoas que fogem dos problemas como se esses fossem desaparecer, eles não vão desaparecer por mais que a pessoa beba ou se afunde nas drogas, muito pelo contrário darão vida a novos problemas e desafios. É engraçado como o País que tem menos problemas sociais é o que tem a taxa mais elevada de suicídio. Parece que as pessoas precisam de problemas para viverem, para se desafiarem. Devemos é buscar o controle da situação, o controle do nosso destino. Não existe nada traçado, nada vai cair no seu colo de bandeja, devemos é encarar os problemas e achar uma estratégia de modo que se tornem mais fáceis de encarar.



Esse é o real objetivo por estar escrevendo essa série, desejo considerar o real inimigo como seus problemas sejam eles quais forem, e usar as técnicas da Arte da Guerra para combatê-los. Proporcionar uma vida melhor para você e para os seus.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 20 de outubro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - Energia

Tudo o que existe é Energia e devemos refletir sobre dois pontos cruciais, primeiro na combinação de poucas coisas gerando uma infinidade e o que parece Caos quando na verdade é Ordem.

Quem me conhece sabe que uma das minhas virtudes e conseguir realizar apresentações, isso se deve ao excesso de treinamento, e afirmo que pouco importa ministrar uma apresentação para 5 ou 50 pessoas, a preparação envolvida é exatamente a mesma. Existe uma infinidade de detalhes a pensar, porém o que faço e decompô-los até uma única questão:


Qual mensagem desejo passar?


Observe como toda apresentação se resume a isso, é como um filme, seja uma superprodução, tudo se resume a mensagem que o filme, peça de teatro ou livro deseja passar. Tudo foi concebido e criado para trazer a tona essa mensagem. Desta forma, podemos decompor tudo a nossa volta em forças simples, Sun Tzu usou como exemplo as Notas Musicais, as Cores Primárias e os Sabores existentes que criam uma infinidade de coisas, pensemos em biologia, nos reinos, existem os Animais, Vegetais e Minerais tudo a nossa volta está decomposto nestes três. Seu objetivo não será mais tão inalcançável ao decompô-lo em unidades primárias.

Ao iniciar uma apresentação, ou um livro, tudo parece caótico, então procuro organizar toda a informação que tenho a minha disposição, pois já tenho um objetivo (A mensagem quero passar), esse caos inicial me ajuda a pensar e traçar qual será meu plano de ação, por qual lado desejo atingir esse objetivo, pois existe uma infinidade de abordagens que posso utilizar para isso.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 14 de outubro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - Disposições

Três são as palavras chaves desse capítulo que se interligam, Invencibilidade, Habilidade e Elementos. Essas três são os elementos cruciais para sempre garantir a vitória.

Começamos por: O que é ser Invencível? Não é nascer em Kripton e vir para a Terra, dei uma parada na "Arte da Guerra" para contar a Parábola da Águia, uma bela história sobre Renovação. Outra história parecida é a da Fênix, uma ave mitológica que sempre renasce das cinzas. Ser invencível é estar disposto, é estar "agudo" às coisas, é saber quando atacar e quando recuar, é estar afinado com tudo, e para isso, é necessário ser habilidoso.

Habilidade refere-se a tudo o que podemos aprender, devemos ser uma esponja para absorver tudo o que esse mundo pode nos oferecer. Um conselho: "Pare de perder tanto tempo em redes sociais, use-as, porém não deixe que usem você". Saber o que todos já sabem não representa nenhuma habilidade, muitas pessoas confundem habilidade com "dom" (principalmente de Deus). Paco de Lucia grande guitarrista espanhol uma vez disse em uma entrevista que treina 12 horas por dia no violão, acha que isso é um "dom"? Não existe esse negócio de "Presente de Deus", porque Ele escolheria alguns em detrimento de outros? Alguma piada divina? Habilidades nas pessoas são aprendidas, refinadas e aprimoradas a exaustão, pergunte a qualquer profissional bem sucedido que a resposta será que a vida inteira estudaram e analisaram tudo a sua volta.

Os Elementos são referentes as projeções que podemos calcular, o que pode ser previsto através de cálculos, vamos tomar por exemplo um agricultor que antes de plantar consulta o serviço de meteorologia, aparelhos diversos como o barômetro, e analise de fotos por satélite para prever o que acontecerá nos próximos meses ou então, pode simplesmente contar com a sorte (Sorte? Não seria mais fácil jogar na MegaSena?). Em qual desses dois estágios você acredita que esse agricultor será favorecido? Estudar os elementos é crucial para uma carreira de sucesso de modo a se tornar invencível em qualquer situação.


Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

Historinhas - A Parábola da Águia

Darei uma pausa rápida na "Arte da Guerra" para contar uma pequena parábola, vou reproduzi-la da mesma forma como a li em um folheto:

A águia é a única ave que chega a viver 70 anos. Mas para isso acontecer, por volta dos 40, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão. Nessa idade, suas unhas estão compridas e flexíveis. Não conseguem mais agarrar as presas das quais se alimenta. Seu bico, alongado e pontiagudo, curva-se. As asas, envelhecidas e pesadas em função da espessura das penas, apontam contra o peito. Voar já é difícil. Nesse momento crucial de sua vida a águia tem duas alternativas: não fazer nada e morrer, ou enfrentar um dolorido processo de renovação que se estenderá por 150 dias. A nossa águia decidiu enfrentar o desafio. Ela voa para o alto de uma montanha e recolhe-se em um ninho próximo a um paredão, onde não precisará voar. Aí, ela começa a bater com o bico na rocha até conseguir arrancá-lo. Depois, a águia espera nascer um novo bico com o qual vai arrancar as velhas unhas. Quando as novas unhas começarem a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. Só após cinco meses ela pode sair para o voo de renovação e viver mais 30 anos.

Porque parábola? Por que essa história é pura lenda (só para ter uma ideia o máximo de vida que se conhece das águias é de 30 anos). Este é um daqueles contos para fazer com que possamos refletir sobre a nossa vida, a dificuldade de quem consegue chegar aos 40 anos e precisa se RENOVAR (essa é a palavra chave do texto).

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 7 de outubro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - Estratégia Ofensiva

Esse é o capítulo do livro favorito de muitas pessoas, pois é melhor dominar o inimigo sem destruí-lo, sem lutar, sem guerras para isso o conhecimento do inimigo é necessário e várias ações lógicas podem ser implementadas, tais como: destruir completamente suas relações, enfraquecer suas forças e principalmente não ser impaciente.

Com forças muito superiores podemos cercar o inimigo até que este desista, sendo mais forte podemos realizar um ataque rápido, preciso e decidido, sendo igual podemos combatê-lo através do uso de artimanhas e sendo mais fraco devemos garantir que podemos sair ilesos do jogo. O grande problema é quanto na interferência dos superiores. Você é o técnico contratado e compreende o modus operanti para a realização do trabalho, de repente seu superior imediato diz outra coisa totalmente diferente a sua equipe. Como agir nessa situação? Essa é a grande questão no mundo empresarial. Steve Jobs era conhecido por dar sua opinião em todas as áreas na criação de um novo produto na Apple, muitas dessas opiniões totalmente contrárias ao que a boa razão julgava e isso gerava muitos conflitos na equipe de trabalho. Esse conflito ficou tão agravado e acabou na expulsão de Steve Jobs da presidência da companhia. O bom líder deve confiar em seus comandados e nas opiniões desses.

Esse capítulo é o favorito de muitas pessoas por causa da máxima lançada por Sun Tzu que é gravada a ferro e fogo na memória de quem lê esse livro:
  • Conheças a si mesmo e ao teu inimigo e terás a vitória garantida.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 29 de setembro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - A Condução da Guerra

Para combater em um novo local, devemos ter em conta que o "transporte das provisões" (marketing, novas ideias, funcionários) pode sair muito caro. Como solução, Sun Tzu promove o livre saqueio, tanto de alimentos, equipamentos e tropas.

Uma guerra demorada não favorece a ninguém, pois esgotam-se os recursos e pode ocorrer o aumento exorbitante dos preços. Desta forma, vizinhos podem se aproveitar da situação para atacar. O principal é ter foco no que pretendemos realizar. Para vencer a batalha devemos nos tornar mais fortes que o inimigo, tratar bem a população e os prisioneiros incitando-os ao nosso lado. Traduzindo para os negócios, significa que podemos aproveitar tudo o que os nossos concorrente já realizaram, principalmente as boas ideias. Se aproveitar dos recursos, significa declarar maiores vantagens do nosso produto, mostrar aos clientes que nossas mercadorias são as melhores, discorrer sobre as vantagens dos nossos funcionários e obter os melhores talentos para nossa empresa.

Podemos fortalecer nossa posição às custas do que o nosso inimigo já realizou, sem termos de reinventar tudo novamente.Faça um exercício mental e pense em quantas empresas seguiram essa tática.

 Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 23 de setembro de 2012

Estratégia - A Arte da Guerra - Estimativas

Sei que deve estar saturado por tantos blogs falarem desse livro, porém permita-me mostrá-lo de uma maneira um pouco diferenciada, mais prática e resumida. Pretendo ao longo de treze postagens discorrer os benefícios de utilizar esse tratado que pode ser aplicado de tão diferente maneiras.

Estimativas, cálculos ou planejamento inicial refere-se a observar cinco fatores que serão utilizados durante todo o decorrer das atividades. O primeiro é a influência que podemos causar nas pessoas, se essas acreditam em nossas ideias, somente deste modo podemos conseguir aliados para a realização dos nossos sonhos. O segundo tem a ver com a natureza, devemos entender isso como o meio que nos cerca e se aproveitar das condições e mudanças que ocorrem nesse meio. O terceiro é quanto ao terreno, refere-se as distâncias que devemos percorrer para atingir determinado objetivo e a forma como sobrepomos as dificuldades encontradas pelo caminho. O quarto é a capacidade de liderança, convém lembrar que o líder é o "escolhido" e não o "nomeado", um líder só é escolhido ao demonstrar as qualidades necessárias para ser seguido. O quinto é disciplina, isso envolve dois termos organização e controle, seguir as normas e os preceitos estabelecidos.

Durante a fase de planejamento podemos utilizar de diversas estratégias, antes mesmo de iniciar a batalha, buscando minar a ação dos nossos adversários. A principal ação que podemos realizar é o estudo desse adversário (recomendo uma análise de SWOT), jamais enfrentar o desconhecido pois pode ser desastrosamente perigoso. Não devemos demonstrar toda nossa capacidade perante aos adversários e sempre evitá-lo quando este for mais forte. Devemos sempre manter uma pressão constante, atacando e recuando, sempre em pontos despreparados e buscando dividi-lo para torná-lo ainda mais fraco.

 
Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 22 de setembro de 2012

Literatura - Tolkien e Eu

Devo confessar que sou apaixonado por dois escritores de Fantasia, um deles é Neil Gaiman (Sandman, Stardust, Neverwhere, ...) o outro é J. R. R. Tolkien. Conheci esse autor aos meus 13 anos de idade, em uma série de 9 livros chamada "El Señor de los Anillos", na época estava aprendendo espanhol e um dos poucos livros de Literatura que existia na Biblioteca Nacional era essa coleção (e "El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de La Mancha").

Devo confessar que foi paixão as primeiras páginas, não via a hora de sair da escola e correr para a Biblioteca para continuar minha leitura, na época ainda não tinha Internet. Obviamente que com o passar do tempo comprei a coleção completa dos livros, mas não apenas esses. Após um tempo, surgiu um Desenho Animado (em torno de 1978) em VHS que correspondia ao primeiro livro e parte do segundo, com o tempo surgiu a continuação do desenho "O Retorno do Rei" (em meados de 1980). O anuncio definitivo veio quando Peter Jackson (um diretor desconhecido até então) resolveu fazer a Trilogia.

Tudo isso é história, e atualmente, assim como Gaiman, possuo tudo o que é lançado desse escritor. Já "O Hobbit" (livro que pela ordem veio antes do "Senhor dos Anéis"), possuo não apenas o livro mas como uma revista em quadrinhos (que possui um belo acabamento) e igualmente o desenho animado lançado em 1977. No final desse ano teremos uma nova trilogia, acredito que será bem mais fiel ao livro, para um fã apaixonado sei que mais uma vez vou me emocionar com essa nova versão.



Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Historinhas - Nas mãos do Destino

É um história curta, mas como toda boa história Zen essa possui uma grande margem para podermos tirar nossas próprias conclusões e ensinamentos:

Conta-se que um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo embora ele tivesse apenas um décimo do número de homens que seu oponente. Ele sabia que poderia ganhar mesmo assim, mas seus soldados tinham dúvidas. No caminho para a batalha ele parou em um templo Shintó e disse aos seus homens: "Após eu visitar o relicário eu jogarei uma moeda. Se a Cara sair, iremos vencer; se sair a Coroa, iremos com certeza perder. O Destino nos tem em suas mãos." 

Nobunaga entrou no templo e ofereceu uma prece silenciosa. Então saiu e jogou a moeda. A Cara apareceu. Seus soldados ficaram tão entusiasmados a lutar que eles ganharam a batalha facilmente. Após a batalha, seu segundo em comando disse-lhe orgulhoso: "Ninguém pode mudar a mão do Destino!" "Realmente não..." disse Nobunaga mostrando-lhe reservadamente sua moeda, que tinha sido duplicada, possuindo a Cara impressa nos dois lados.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 16 de setembro de 2012

Qualidade - Quadrantes para Gerenciamento Pesoal

Normalmente somos chamados a fazer o que é Urgente contudo temos sempre a sensação de que isso não é Importante, pois muitas vezes, não sabemos distinguir o que é Urgente e Importante. E o motivo é simples, não organizamos nossa vida. Uma opção rápida e prática é utilizar o método proposto por Stephen R. Covey que no seu livro "Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes", diz que devemos definir primeiro o que é mais importante. Covey sugere a criação de quatro quadrantes para o gerenciamento de atividades diárias. Descritos da seguinte forma:

  ---------------------------+-----------------------------
  1. UI                      | 2. NUI
  ---------------------------+-----------------------------
  Urgente e Importante       | Não Urgente mas Importante
  Quadrante do Inevitável    | Quadrante da Qualidade
  ---------------------------+-----------------------------
  3. UNI                     | 3. NUNI
  ---------------------------+-----------------------------
  Urgente e não Importante   | Não Urgente, nem importante
  Quadrante das Interrupções | Quadrante do Lazer
  ---------------------------+-----------------------------


Pegue uma folha de papel (aproveite aquele bloco que você nunca usa ou uma Agenda que só está preenchido o mês de Janeiro) e divida-a em quatro áreas:
  1. UI - Defina tudo que seja de total prioridade e que não pode passar do dia de hoje, como se fosse uma daquelas ofertas que duram apenas um tempo determinado.
  2. NUI - Aqui podemos planejar e estabelecer as oportunidades do dia, o que poderá nos trazer benefícios a curto ou longo prazo.
  3. UNI - Normalmente este quadrante está relacionado as perdas de tempo ou distrações, reuniões, emails, telefonemas...
  4. NUNI - Totalmente inútil para as nossas atividades, entretanto necessário como a pausa para o cafezinho e descansar os olhos do monitor.
O que estou lhe propondo é algo bem simples, ao chegar no seu trabalho gaste 5 minutos preenchendo esses quadrantes e siga-o durante todo o dia. Acredito que sua vida profissional irá melhorar e adquirir um pouco mais de controle e qualidade, pois como dizia Zarvirus: "O homem mais digno é o capaz de distinguir as prioridades deste mundo".

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 9 de setembro de 2012

Projeto - Failure Modes Effect Analysis

A técnica Failure Modes Effect Analysis, ou simplesmente FMEA, é do tipo Bottom Up (de baixo para cima) na qual buscamos identificar os potenciais riscos com base em experiências anteriores de processos semelhantes, ou com base em lógica comum. Obtemos, com o mínimo de esforço e de desperdício de recursos, uma redução do tempo de desenvolvimento, por isso é considerada uma ferramenta de Planejamento da Qualidade.

Comumente utilizada:
  • no desenvolvimento de produtos dentro de um sistema de classificação pela gravidade e probabilidade de encontrar falhas no desenvolvimento e fabricação. 
  • nas várias fases do ciclo de vida do produto.
  • como forma de revisão do projeto.
Vantagens do processo:
  • Útil no desenvolvimento de recursos e as metas para os produtos e processos.
  • Identificar pontos críticos dos produtos e processos.
  • Projetar formas de combater problemas potenciais.
  • Estabelecer controles para evitar erros de processo.
  • Priorizar subunidades do processo para garantir a confiabilidade.
Porém, mesmo com essas vantagens observamos que o FMEA é efetivamente dependente dos membros da comissão que analisa as falhas do produto, e está limitada pela experiência aos fracassos anteriores. Contudo, sua implementação é bastante simples, e pode ser realizada por uma única planilha que contém os seguintes campos:
  1. Modo. Descrição do problema.
  2. Efeito. O que acontece quando o problema se manifesta.
  3. Causa. Agente causador.
  4. Freqüência de Ocorrência. Valor atribuído entre 1 e 10 de probabilidade de ocorrer.
  5. Grau de gravidade. Valor atribuído entre 1 e 10 de gravidade.
  6. Possibilidade de Detecção. Valor atribuído entre 1 e 10 de probabilidade de ser localizado.
  7. Prioridade de Risco. Resultado da multiplicação dos itens 4, 5 e 6.
  8. Ação. Refere-se a mitigação, normalmente realizada se o valor do item 7 for superior a 100.
  9. Validação. Verificar se o item 8 gerou o efeito esperado.
Os itens de 1 a 3 referem-se as potenciais falhas que podem ocorrer (Risco), os itens de 4 a 7 a definição de quão prejudicial poderá ser esse problema e os itens 8 e 9 os processos de correção (Mitigação).

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

Estendendo seus conhecimentos: neste site encontramos 10 passos para montar a matriz FMEA, além da template da planilha em formato Excel.

sábado, 8 de setembro de 2012

Projeto - Fault Tree Analysis

Existem duas formas de analisarmos um Risco, a primeira é conhecida como FMEA (Failure Mode and Effect Analysis) e a segunda denominada FTA (Failure Tree Analysis). A técnica FTA foi desenvolvida em 1962, nos laboratórios da Bell, por H. A. Watson e foi rapidamente adotada por uma ampla gama de disciplinas da Engenharia como um dos principais métodos de realização de análise de segurança.

Esta é uma técnica top down (de cima para baixo), partimos da análise de falhas dedutivas, onde um estado indesejado de um sistema é analisado usando a lógica booleana para combinar uma série de eventos para os níveis mais baixos. Este método de análise é utilizado principalmente para determinar a probabilidade de um acidente ou de um nível de segurança de um sistema falhar. Deve ser utilizada principalmente para analisar sistemas grandes e complexos, pois são, particularmente, adeptos de mecanismos de redundância. Além disso, os eventos de causa comum são facilmente manipulados.

FTA inicia com a identificação do defeito ou falha crítica na qual, devemos explorar as falhas e fatores causadores que são suscetíveis a provocar uma ocorrência de falha crítica. Os diagramas de eventos em árvore fornecem uma representação lógica dos resultados possíveis após um evento perigoso, e uma abordagem indutiva para a avaliação da confiabilidade e risco. Toda simbologia deste diagrama é descrito neste artigo da Weibull.com (recomendo sua leitura) e uma planilha (em formato Excel) pode ser baixada aqui. Obtemos com isso, uma maneira eficaz para determinar as falhas prováveis ​​e defeitos associados em um projeto, porém a sua eficácia dependerá da forma como foi construído e analisado o diagrama resultante.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Projeto - Qualidade: QFD

Conhecido como Quality Function Deployment (traduzido para Desdobramento da Função Qualidade), ou simplesmente QFD é uma técnica que busca transformar as demandas do usuário em um projeto de qualidade, onde implementamos as funções que aportem mais qualidade e os métodos para lograr os elementos específicos. Foi criado em 1966, no Japão, pelo Dr. Akao que sugeriu uma utilização de matrizes para expressar quais seriam os pontos críticos da qualidade do ponto de vista do cliente, que deveriam ser transferidos para as etapas de projeto e construção. Utilizar o QFD como base para o desenvolvimento de software, foi apresentado no trabalho de J. Thackeray e G. Van Treeck através da Programação Orientada a Objetos e a construção de Casos de Uso.

O diagrama do QFD tem como base no que chamamos de House of Quality (Casa da Qualidade), esse conceito foi aplicado na prática em 1972 no projeto de um petroleiro pela Mitsubishi Heavy Industries. Existe um interessante tutorial (que pode ser acessado aqui) que explica os detalhes sobre essa matriz. Existem vários desdobramentos do QFD original que torna o seu estudo um tanto confuso, porém as técnicas mais modernas falam de quatro matrizes:
  • Requisitos de Qualidade - ouvir o que o cliente tem a dizer.
  • Elementos de Qualidade - são os elementos críticos priorizados a partir de pesos de importância obtidos na matriz anterior.
  • Partes Críticas - desdobramento das funções relevantes.
  • Requisitos Operacionais - correlação entre as funções e os requisitos operacionais.
A parte boa de tudo isso é que existe pela Web milhares de planilhas que podem lhe ajudar a realizar este trabalho, entre elas destaco as templates da QFD Online. Pessoalmente, prefiro o excelente software de Valdinei Leandro de Santana que pode ser obtido neste site www.qfd.com.br.

Resumidamente, A aplicação para um QFD pode ser bem ampla, pois seus princípios são abrangentes e traduzem as necessidades do cliente bem como suas características, sejam estas produto ou serviço.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 2 de setembro de 2012

Tecnologia - Mineração de Dados na prática

Como hoje é domingo, estava conversando comigo (na verdade somos alguns) e tivemos uma ideia, pegar um conjunto de artigos sobre um determinado assunto e conhecer quais são as palavras que são mais comuns. Ou seja, gerar uma Nuvem de Palavras. O assunto escolhido foi Big Data e obtive 25 dos mais variados artigos, entre eles destaco os da ComputerWorld e de Cezar Taurion (Evangelista da IBM).

Uma vez de posse de todos os artigos, foram colocados em um arquivo TEXTO simples. o próximo passo foi corrigir o plural de algumas palavras, como por exemplo: Negócios para Negócio, Bancos para Banco, Empresas para Empresa, e assim sucessivamente para que corrigisse o resultado final. Agora vamos a  escolha do gerador da Nuvem de Palavras (se você observar a Web está cheia deles), escolhi o TagCrowd pela praticidade e facilidade de geração e por mais dois simples e importantes fatores:
  1. Aceitar fazer o Upload de um arquivo TXT como fonte de dados.
  2. Desprezar automaticamente determinadas palavras do texto, tais como: ainda, cada, com, como, da, de, dos, em, es, esse, forma, mais, mas, muito, na, nos, os, ou, para, pelo, pode, por, que, se, ser, seus, sobre, um, uma, ao, apenas, dia, diz, ele, essa, exemplo, fazer, isso, mesmo, muitas, pela, podem, tem, ter, todos, veis, vez, estão, será, uso, of, the. Que não teriam sentido no resultado que estava buscando.
Agora foi somente gerar e visualizar o resultado:


Essas palavras dizem muita coisa sobre essa nova tecnologia Big Data e é uma forma extraordinária de podermos pensar sobre o assunto. Está escrevendo uma tese ou um trabalho, faça o teste e use a Mineração de Dados a seu favor.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 1 de setembro de 2012

Projeto - Tudo é um Risco

O que vem a ser um Risco? Resumidamente, para muitos autores, é uma estimativa do grau de exposição ou ameaça a um ou mais ativos que pode causar danos ou prejuízo a organização. Identificar o Risco permite antever o que pode acontecer com os ativos, se não forem adequadamente protegidos. É importante saber quais são as características e interesse de cada ativo, bem como o grau em que estas características estão em perigo, isto é, analisar o sistema. Então a Análise de Riscos é um processo para estimar o tamanho do risco a que está exposta uma organização. No qual é suportada pelo Gerenciamento de Riscos, que é a seleção e implementação de métodos para conhecer, prevenir, reduzir ou controlar os riscos identificados.

Devemos ter em conta que um risco permanece, mesmo após as medidas de segurança terem sido tomadas. Sua exposição causa um estado de incerteza, onde algumas das possibilidades envolvem perda ou resultado indesejável. E cada novo evento, dá origem a exposição de um novo risco. Desta forma, constantemente devemos:
  • Avaliar o risco,
  • Planejar a mitigação do risco,
  • Implementar a mitigação do risco, e
  • Avaliar a eficácia da mitigação.
O que vem a ser a Mitigação de Risco? É definido como sendo o processo para controlar os riscos, e isso inclui um custo-benefício. Implementar a Mitigação de Risco, envolve atribuir a um serviço as soluções identificadas durante a fase de planejamento, ou criar processos de atuações corretivas. Avaliar a Eficácia da Mitigação, envolve monitorar o ambiente contra os riscos que foram identificados.

Simplificando esse assunto, identificamos todas as coisas que podem sair mal, calculamos qual a probabilidade que isso ocorra e definimos o que fazer para controlar essa situação. Por exemplo:

Risco: Ação de um vírus na base de dados e o comprometimento dessa base.
Probabilidade: 3 (sendo: 1 muito improvável e 5 totalmente plausível).
Mitigação: Realizar um backup semanal completo e diário incremental da base de dados, manter o Anti-Vírus sempre atualizado.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 19 de agosto de 2012

Projeto - Análise "E se..."

Uma das cenas mais interessantes da refilmagem do clássico "A Máquina do Tempo" é quando Alexander (personagem de Guy Pearce) faz o questionamento: "E se...". Para quem desconhece, esse modelo de análise surgiu na época da planilha Lótus 1-2-3 e nas palavras de David du Chemin:
"A criatividade é a capacidade de ver as coisas de uma maneira nova, de modo a combinar as coisas existentes, pontos de vista, elementos, de uma forma que ainda não foi feita, ou de uma maneira que exclusivamente resolve um problema. É, em suma, o poder de "E se ...?"
David du Chemin, Fotógrafo 
Este é um método de coleta de idéias, de modo a determinar que coisas podem dar certo ou errado, verificar as probabilidades e as conseqüências das situações que podem ocorrer. As respostas a todas estas questões, formam uma base para fazer julgamentos sobre a aceitabilidade dos riscos envolvidos de modo a determinar um curso de ação recomendado, buscando riscos que forem julgados como aceitáveis.

A realização dessa forma de analise das possibilidades pode ser benéfico de várias formas. Não apenas tomamos melhores e mais bem informadas decisões, como alteramos pressupostos, observamos e estimamos, além de sermos capazes de prever resultados das decisões. E se sua equipe aceitar desenvolver um sistema sabendo que o prazo de entrega é muito apertado... discuta todas as possibilidades que podem ocorrer e faça a equipe se comprometer com o resultado.

Levar um facilitador que pode avaliar com outros olhos (fora do escopo dos envolvidos) o que pode dar errado com base em suas experiências passadas e conhecimento de situações também poderá ajudar na tomada das decisões. Talvez você tenha assistido a esse filme e nem tivesse conhecido esse modelo de análise, pois saiba, esse modelo persiste até os dias atuais e muitos produtos são desenhados baseados no "E se... ?".

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 18 de agosto de 2012

Empregabilidade - Da Nuvem para Você

A Nuvem, Cloud Computing, é um termo que juntamente com Big Data começou a ser muito explorado. Primeiramente vamos entender que ambas soluções estão começando, então a hora de aprendê-las é agora. O termo "Nuvem" se refere a Internet e basicamente se refere aos dados, que estavam preso em algum HD, ficarem a disposição para qualquer equipamento que acesse a Internet, junte a isso, smartphones, tablets, netbooks, notebooks, desktops, geladeiras, carros, e por aí vai. Em teoria tudo é muito simples, precisou de uma planilha para fechar um relatório, lá está ela a sua disposição em algum servidor basta acessar sua conta.

Só que a "Nuvem" não se limita a isso, podemos também colocar equipamentos como impressoras, scanners, ou qualquer outro periférico. Deste modo, está em casa e precisa imprimir o relatório basta mandar o resultado para a impressora do escritório. Continuando com essa viagem futurista, devemos lembrar que tudo isso envolve uma pequena palavra que exige muito: Segurança, imagine se o concorrente da sua empresa consegue obter seu dados. O nível de proteção exigido aumenta consideravelmente, e esse é hoje um dos principais problemas com a implantação de Cloud Computing, as pessoas simplesmente não confiam o suficiente para deixar seus dados "abandonados" a mercê de pessoas mal intencionadas.

Nesse ponto que entram as grandes empresas, consolidadas no mercado, essas grandes corporações estão vendo um grande filão a ser explorado e a caça a bons profissionais deve começar em breve, deste modo, é aqui que você entra. Fique preparado, antenado, e por dentro de tudo o que está acontecendo pois em breve uma gigante do mercado estará lhe fazendo uma oferta.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 11 de agosto de 2012

Projeto - Diagrama de Gantt

Em 1917, um engenheiro mecânico chamado Henry Gantt (que trabalhava com ninguém menos que Frederick Taylor, difícil esquecer esse nome se você já fez alguma matéria de Administração na vida) inventou o Mapa (ou Diagrama) de Gantt para auxiliá-lo no gerenciamento do controle de produção da empresa. Este diagrama cruza informações de quais pessoas, estão alocadas em quais tarefas e em quanto tempo, e graças a essa imensa praticidade tornou-se rapidamente indispensável para o moderno Gerenciamento de Projetos. Porém, não apenas os Gerentes de Projetos podem se beneficiar, qualquer pessoa que queira controlar suas tarefas pode utilizar essa ferramenta, ou seja, Diagramas de Gantt podem ajudá-lo a definir suas metas e visualizar como as tarefas estão organizadas.

Planejamento é essencial para o sucesso de qualquer atividade e você não precisa usar o MS-Project, a ferramenta GanttProject possui um conjunto de recursos razoável, completamente livre, multi plataforma e feita em linguagem Java, pode baixar a última versão 2.5.3 em  http://www.ganttproject.biz/. Além de permitir a confecção do Diagrama de Gantt, permite ainda a Gestão de Recursos, funções de Calendário, Importar/Exportar dados para MS-Project, HTML, PDF e planilhas.

Ficou interessado? Assista ao vídeo (em Português) criado pelo Alessandro sobre essa ferramenta e comece a dar seus primeiros passos.



Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 5 de agosto de 2012

Tecnologia - Office 2013 está chegando...

Isso se os Maias estiverem errados quanto ao fim do mundo. Mas como tudo nas "ciências exotéricas" é figura de linguagem, ou seja, um "Torre" não é necessariamente uma torre, uma "Arca" não é necessariamente uma arca e por aí vai, o "Fim do Mundo" não significa necessariamente o fim, mas como muita gente prega: "Uma Transformação".

No mundo da TI estamos realmente acompanhando essa transformação bem de perto. O termo que mais assusta as pessoas é "Cloud Computing", isso significa que em breve toda a informação disponível estará em algum lugar "na nuvem". Outra grande transformação será a "morte" do mouse, que será substituído pelo TouchScreen (não, a ideia do Touch nada tem a ver com o teclado), acompanhando essa tendência já sabemos que o próximo Windows se aproveitará dessas tecnologias, e obviamente o próximo Office não podia ficar de fora.

A ideia obvia por detrás dessa nova ferramenta é ser um conjunto de escritório completo que pode ser executado em qualquer lugar e com qualquer aparelho (Cloud Computing) e aproveitando a acessibilidade através do toque de tela (TouchScreen) disponível atualmente nos Tablets e Smartphones. No site oficial do produto podemos encontrar um vídeo que explica em linhas gerais como os produtos: Word, Excel, PowerPoint, OneNote e Outlook estão bem integrados formando um pacote único de aplicativos.

Agora o que resta é ver como o "Apache OpenOffice" (principal concorrente) reagirá, pois obviamente essa integração toda afetará produtos que rodem o Windows 8, já que nada foi falado em relação ao iOS, Android, Linux, MacOS ou compatibilidade com as versões de Windows Antigas deixando um grande nincho de mercado para exploração

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Projeto - Malditas Reuniões

Na área de TI as reuniões sempre são encaradas como: 1. Perda de Tempo, 2. Momento de Pausa no Trabalho e 3.Hora de Desenhar. Neste momento muita gente deve estar revoltada comigo dizendo: "Isso não acontece na minha empresa", "Nossas reuniões são sempre produtivas".

Só peço que seja franco e analise comigo: São 10 horas da manhã de uma quarta-feira, estamos embalados com a "quase" solução para aquele problema que vem atormentando desde a semana passada, parece que finalmente tudo vai dar certo quando alguém bate no seu ombro dizendo: "Reunião". Me diga que se sente extremamente feliz com a notícia pensando: "Este é um excelente momento para a troca de informações". Porque dessa forma que uma reunião deveria ser encarada como um momento de troca de informações na empresa (não entenda isso como momento de "lavar a roupa suja").

Mas porque isso tudo acontece? Primeiro, muitas vezes, não existe um plano do que será discutido nas reuniões e se existe não fica claro para os participantes, salvo raros casos (vamos excluir aqui as reuniões de pontos de controle de projeto). Segundo, falta de foco, muitas vezes os assuntos que deveriam ser tratados particularmente são expostos nas reuniões virando uma conversa entre dois interessados. Terceiro, alguém tem a "brilhante" ideia de pedir um cafezinho, resultado que, se existia, o assunto é desviado completamente para trivialidades. Quarto, pânico em falar na presença do "Chefe", muitas pessoas simplesmente respondem a perguntas principalmente com monossílabos.

Existem milhares de sites que mostram como conduzir uma reunião (veja aqui um exemplo) e quero também deixar simples dicas práticas:
  • Não deixe a reunião ultrapassar 30 minutos, acima disso os assuntos começam a se dispersar.
  • Não marque a reunião às 11:30 ou 17:30, se for necessário discutir além do período normal de trabalho às pessoas começam a se dispersar pensando que vão perder o almoço ou atrasar para pegar os filhos na escola.
  • Concentre o assunto em pontos chaves, deixe-os no quadro e mostre suas soluções, use um mapa mental ou conceitual para auxiliá-lo.
Gostaria de lembrá-lo que reuniões são, acima de tudo, oportunidades para que o "Líder" possa avaliar pessoas a assumir futuros cargos de liderança.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 14 de julho de 2012

Educação - Sejamos Francos

A educação brasileira vai mal. Grande novidade, afinal de contas o que se espera quando se paga mal para os Professores, desvia-se dinheiro da merenda escolar, não arrumam as estradas ou fornece transporte público de qualidade para que nossos filhos possam chegar em segurança e principalmente com escolas como essa:


Você realmente acredita que existe realmente qualquer condição para a Educação Brasileira melhorar? Felizmente, existem excelentes soluções no mundo todo e basta apenas um pouco de boa vontade para termos escolas como esta:


Não pense que custou milhares de reais e foi desenvolvida por um País onde o nível é uma Suíça. Essa escola foi construída com GARRAFAS PET, isso mesmo, aquela mesma garrafa que suja os nossos rios agora servem a Educação, e foi construída nas FILIPINAS, nada de Japão, EUA ou Europa, mas em um País de 3º Mundo como o nosso, a única diferença é que lá eles sabem que é necessário investir na educação.

Veja aqui a matéria completa e repasse essa ideia, quem sabe muitas escolas não mudam e começamos também a mudar o quadro da Educação Brasileira.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Utilidade - Serviços 0800

Desculpem-me a falta de postagens neste período mas estava enfrentando as semanas da loucura, estudar para Certificação, ministrar aulas entre muitas outras coisas tomaram todo meu tempo, mas nesse  final de semana volto com força total e muitas novidades (saudades de "Tablet: A Novela").

A cada 15 dias recebo um e-mail contendo dicas preciosas e normalmente com uma propaganda sobre produtos naturais do tipo (resolve queda de cabelo ou emagrecer), resolvi divulgar as dicas aqui (as propagandas deixo nos emails):

1. Certidões: quem quiser tirar uma cópia da certidão de nascimento, de casamento, não precisa mais ir ao cartório e esperar um tempão na fila. O cartório eletrônico, já está no ar! É possível resolver essas e outras burocracias, 24 horas por dia, on-line. Cópias de certidões de óbitos, imóveis, e protestos também podem ser solicitados pela Internet. Para pagar é preciso imprimir um boleto bancário. Depois, o documento chega por Sedex. Endereço: http://www.cartorio24horas.com.br/

 2. Auxílio a Lista: Telefone 102... não! Agora é: 08002800102. Na consulta através do 102 pagamos  R$ 1,20 pelo serviço.

3. Multa de Trânsito: no caso de multa por infração leve ou média, se não foi multado pelo mesmo motivo nos últimos 12 meses, não precisa pagar multa. É só ir ao DETRAN e pedir o formulário para converter a infração em advertência com base no Art. 267 do CTB. Leve a xerox da carteira de motorista e a notificação da multa.. Em 30 dias receberá pelo Correio a advertência por escrito. Perde os pontos, mas não paga nada.

Código de Trânsito Brasileiro: Art. 267 - Poderá ser imposta a penalidade de advertência por escrito à infração de natureza leve ou média, passível de ser punida com multa, não sendo reincidente o infrator, na mesma infração, nos últimos doze meses, quando a autoridade, considerando o prontuário do infrator, entender esta providência como mais educativa. 

4. Documentos roubados - BO (boletim de occorrência) é gratuito conforme a Lei 3.051/98. O que grande parte da população não sabe, é que a Lei 3.051/98 também dá o direito, em caso de roubo ou furto (mediante a apresentação do Boletim de Ocorrência), a gratuidade na emissão da 2ª via de tais documentos como: Habilitação (R$ 42,97); Identidade (R$ 32,65); Licenciamento Anual de Veículo (R$ 34,11).. Para conseguir a gratuidade, basta levar a cópia (não precisa ser autenticada) do BO e o original para o Detran para obter a Habilitação e Licenciamento e outra cópia à um posto do IFP.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 2 de junho de 2012

Java - Modificadores "protected" e "default"

Em linguagem Java sabe qual a diferença entre utilizar o Modificador de Acesso "protected" e "default" (não colocar nenhum modificador)? Essa é a pergunta campeã em matéria de dúvidas, antes de mais nada temos três modificadores de acesso:
  • public - acesso total e irrestrito.
  • private - acesso restrito a classe que o criou.
  • protected - acesso restrito ao mesmo pacote (pelo menos é assim que as pessoas entendem).
A ausência do modificador de acesso é chamado de "default" (não se usa essa palavra). Vamos observar o seguinte código:
package p1;

public class Pai {
  protected int metodo() {
    return 42;
  }
}

----------------------------------------------------

package p2;

public class Filho extends p1.Pai {
  public static void main(String [] args) {
    new Filho().teste();
  }
  public void teste() {
    System.out.println("Tenho o valor " + metodo());
  }
}
Temos uma classe Pai no pacote p1 e uma classe Filho no pacote p2 que herda a classe Pai no outro pacote e tudo funciona normalmente, porém se retiramos a palavra protected da classe Pai o código de filho não compilará mais. Então vamos mudar a definição do modificador protected:
  • protected - acesso restrito ao mesmo pacote ou subclasses de outros pacotes.
  • default -  acesso restrito ao mesmo pacote.
Isso significa que na linha de restrição: 1. private, 2. default, 3. protected e 4. public.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

terça-feira, 29 de maio de 2012

Gimp - E viva a liberdade

Tenho um grande amigo que é um Artista Gráfico, daqueles que possuem um Mac ao invés de um PC, só que ele tem uma mania extremamente chata, a de supor que o único programa que existe para imagens é o Photoshop. Não que tenha nada contra em relação a esse programa, muito pelo contrário, gosto muito da Adobe inclusive tanto para não fazer uma cópia pirata alternativa do programa. Pois a pessoa que diz que gosta de um programa e tem uma cópia alternativa, além de ofender o programa está também matando o trabalho que uma grande empresa teve em cima dele.

Pessoalmente uso o Gimp (www.gimp.org), é um programa livre, forte concorrente do Photoshop e sinceramente desde que comecei a usá-lo nunca teve nada que fizesse mudar minha opinião. Inclusive, me propus realizar um desafio: "Sempre que localizar um tutorial feito para o Photoshop tento realizá-lo com o Gimp". Em momento nenhum quero provar que o Gimp é melhor, o que quero provar é que não é necessário fazer uma cópia ilegal do Photoshop para se ter um bom programa de manipulação de imagens.

Primeiro Desafio - Transformar uma Foto em um Desenho

Site: http://codigofonte.uol.com.br/artigo/photoshop/transformar-foto-em-desenho-tecnica-i

  1. Para transformar a imagem em preto e branco: Selecione no menu "Cores | Colorizar" e coloque o valor 0 para as propriedades Matriz e Saturação (igual ao passo 1)
  2. Selecione no menu "Camada | Duplicar Camada" (igual ao passo 2)
  3. Selecione no menu "Cores | Inverter" (igual ao passo 3)
  4. Na janela de Camadas (se não tiver aberta use CTRL+L), selecione "Adição" para a opção modo. Vai ficar em branco.  (igual ao passo 4)
  5. Selecione no menu "Filtros | Esbater | Suavização Gaussiana...", dependendo da imagem use um valor entre 10 e 25 (igual ao passo 5)
Dica: Modifique o Contraste e o Brilho para melhorar a nitidez da imagem, no menu principal acesse "Cores | Brilho e Contraste..."

E pronto, temos exatamente o mesmo resultado e com o mesmo número de passos. Antes de salvar a imagem pode-se mesclar as camadas, para isso no menu principal acesse "Camadas | Combinar Abaixo".

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 26 de maio de 2012

Curiosidade - O Dia da Toalha

Para quem não sabe, no dia 25 de Maio comemora-se o "Dia da Toalha", uma data totalmente NERD. E como um bom Nerd que sou vejamos o guia não eletrônico: "Tudo o que você queria saber sobre o Dia da Toalha mas não tinha nenhum amigo Nerd para quem perguntar"

Pergunta Óbvia: Porque o "Dia da Toalha"?

A Bíblia máxima de todo Nerd é um livro chamado "O Guia do Mochileiro das Galáxias" escrito por Douglas Adams (e você pensava que era "O Senhor dos Anéis"), e no livro existe o seguinte trecho:
"A toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático: você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla; pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos; você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kakrafoon; Pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas do rio Moth; Pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em combate corpo a corpo; enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você – estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz); Você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; E naturalmente pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa. Porém o mais importante é o imenso valor psicológico da toalha. Por algum motivo, quando um estrito (isto é, um não-mochileiro) descobre que um mochileiro tem uma toalha, ele automaticamente conclui que ele tem também escova de dentes, esponja, sabonete, lata de biscoitos, garrafinha de aguardente, bússola, mapa, barbante, repelente, capa de chuva, traje espacial, etc., etc. Além disso, o estrito terá prazer em emprestar ao mochileiro qualquer um desses objetos, ou muitos outros, que o mochileiro por acaso tenha “acidentalmente perdido”. O que o estrito vai pensar é que, se um sujeito é capaz de rodar por toda a Galáxia, acampar, pedir carona, lutar contra terríveis obstáculos, dar a volta por cima e ainda assim saber onde está sua toalha, esse sujeito claramente merece respeito."
Douglas Adams no Guia do Mochileiro das Galáxias

Pergunta não tão Óbvia: Porque 25 de Maio?

Simplesmente porque nesse dia foi feita a primeira homenagem, e seguiu-se essa tradição.

Pergunta esquisita: Como se comemora?

Simplesmente carregando uma toalha com você aonde quer que vá, algumas pessoas exageram e usa a toalha como turbante ou mesmo como parte da vestimenta.

Pergunta de quem não tem mais pergunta para fazer: Não tinha outra data?

Algumas pessoas pensaram em "11 de Março" a data que o autor nasceu, ou 42 dias depois do dia "11 de maio" (data de falecimento). E antes que pergunte, porque o número 42 aparece no livro como a resposta a questão fundamental: "Qual o sentido da vida?"

Pergunta de curioso: Só existe este livro?

Não, é uma série composta de 5 livros escritos por Adams:

  • The Hitchhiker's Guide to the Galaxy (O Guia do Mochileiro das Galáxias)
  • The Restaurant at the end of the Universe (O Restaurante no Fim do Universo)
  • Life, the Universe and Everything (A Vida, o Universo e Tudo Mais)
  • So long, and thanks for all the fish (Até logo, e Obrigado pelos Peixes)
  • Mostly Harmless (Praticamente Inofensiva)


E um sexto livro chamado "And Another Thing…" (E outra coisa...) escrito por Eoin Colfer, autor da série Artemis Fowl com a permissão dos herdeiros.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 13 de maio de 2012

Projeto - Qualidade: Os Princípios de Deming

Em 1986, no Livro "Out of the Crisis", W. Edwards Deming definiu quatorze princípios fundamentais aos gestores para transformar a eficácia do negócio:

  1. Criar constância dos propósitos para a melhoria de produtos e serviços, com o objetivo de tornar-se competitivo, permanecer no negócio e gerar empregos.
  2. Adotar uma nova filosofia. Estamos numa nova era econômica. A gestão deve despertar para o desafio, aprender suas responsabilidades e assumir a liderança para a mudança. 
  3. Interromper a dependência da inspeção para atingir a qualidade. Eliminar a necessidade de inspeção maciça através da construção da qualidade no produto em primeiro lugar. 
  4. Acabar com a prática de concessão de negócio com base em um preço. Em vez disso, minimizar o custo total. Definir um único fornecedor para qualquer item, em um relacionamento de longo prazo de lealdade e confiança. 
  5. Melhorar constantemente o Sistema de Produção e Serviço, para melhorar a qualidade e produtividade, e, assim, diminuir os custos.
  6. Criação de um instituto de formação sobre o trabalho.
  7. Instituir a liderança. O objetivo da supervisão deve ser ajudar as pessoas e máquinas a realizarem um trabalho melhor. Supervisão da gestão está na necessidade de revisão, bem como a supervisão dos trabalhadores da produção. 
  8. Não temer, para que todos possam trabalhar efetivamente para a empresa.
  9. Quebrar as barreiras entre os departamentos. Pessoas em pesquisa, projeto, vendas e produção devem trabalhar em equipe, a fim de prever os problemas de produção encontrados com o produto ou serviço. 
  10. Eliminar slogans, exortações e metas para a força de trabalho pedindo zero defeitos e novos níveis de produtividade. Tais exortações criam relações adversas, como a maior parte das causas de baixa qualidade e produtividade baixos pertencem ao sistema e, assim, estão para além do poder da força de trabalho.
  11. Eliminar os padrões de trabalho (quotas) no chão de fábrica. Substituir com a liderança. Eliminar a administração por objetivos. Eliminar o gerenciamento por números e metas numéricas. Em vez substituir pela liderança.
  12. Remover as barreiras que roubam o trabalhador o orgulho de sua obra. A responsabilidade dos supervisores deve ser a qualidade e não os números. Isto significa, inter alia, a abolição da avaliação anual ou de mérito e de gestão por objetivos. 
  13. Instituir um completo programa de educação e auto-aperfeiçoamento. 
  14. Colocar todos na empresa para participar da transformação. A transformação é tarefa de todos.
Apesar de Deming não usar esse termo em seu livro, foi considerado o criador do movimento Gestão pela Qualidade Total e foram graças a esses princípios que nasceram metodologias como ITIL.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sexta-feira, 11 de maio de 2012

1º Círculo da Qualidade - PDCA de Demings

W. Edwards Deming em 1950 propôs que os processos de negócios deveriam ser analisados ​​e medidos para identificar as fontes de variações que fazem os produtos desviarem-se dos requisitos do cliente. Recomendou que os processos comerciais fossem colocados em um círculo de retroalimentação contínua, de modo que os gestores pudessem identificar e mudar as partes do processo que necessitavam melhorias.

Deming criou um diagrama para ilustrar este processo contínuo, comumente conhecido como o Ciclo PDCA, sigla para Plan (Planejar), Do (Realizar), Check (Checar ou Conferir), Act (Agir).


Planejar é projetar ou revisar os componentes do processos de negócios para melhorar os resultados.
Fazer é implementar o plano e medir o seu desempenho.
Checar ou Conferir é avaliar as medições e relatar os resultados aos tomadores de decisão.
Agir é decidir sobre as mudanças necessárias para melhorar todo o processo.

Deming defendeu que todos os gestores precisavam ter o que ele chamou de System of Profound Knowledge (Sistema de Conhecimento Profundo), que consiste em quatro partes:

  1. Apreciação de um sistema: a compreensão dos processos globais que envolvem os fornecedores, produtores e clientes (ou beneficiários) de bens e serviços; 
  2. Conhecimento de variação: o intervalo e as causas da variação na qualidade, e uso de amostragem estatística nas medições; 
  3. Teoria do conhecimento: os conceitos que explicam o conhecimento e os limites do que pode ser conhecido. 
  4. O conhecimento da psicologia: conceitos de natureza humana.
Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 22 de abril de 2012

Empregabilidade - Precisamos compartilhar

Sou da área de Informática e mais de uma vez já ouvi a frase "Hoje compartilhei tal coisa", só que essa tal coisa é sempre uma foto, um vídeo, uma piada, uma fração de um pensamento. O problema é: "já compartilhou uma ideia boa que teve?" Não isso não, esse é meu segredo para ficar rico. "Já compartilhou seus arquivos fontes?" Está louco? se fizer isso qual seria meu diferencial? Acredito fielmente que isso não é exclusividade e ocorre somente na área de Informática.

Sim, as pessoas estão compartilhando mais informações, porém qual é o nível dessas informações? Confesso que sou Professor a muito tempo, e vejo que existem duas espécies de professores, aqueles que ministram sua aula e divulgam a informação necessária para que o aluno possa ter o conhecimento e pronto. Não divulgam seus projetos completos, não divulgam seus arquivos fontes, não divulgam suas fontes de informação, e se defendem dizendo que o "aluno deve correr atrás". Concordo, o aluno realmente deve correr atrás de novos conhecimentos e de novas descobertas não daquilo que já foi dominado.

Existem outros professores, veja um exemplo aqui, que não possuem o menor medo em divulgar toda a informação que possuem, seus arquivos fontes, suas ideias, seus mais "preciosos" dados. Certa vez ao assistir "Mister M" (o paladino negro da noite) dizendo que estava compartilhando o Segredo dos Mágicos pois assim eles teriam de aprender novos truques, ao invés de ficar fazendo desaparecer o Elefante. Essa semana divulguei na minha página a impressionante notícia que o Ministério do Planejamento compartilhou sua metodologia, são vários documentos fontes que qualquer um pode baixar e aplicar. Isso realmente é maravilhoso, se todas as empresas parassem de achar que isso é um segredo de estado e divulgassem tais documentos veríamos muita coisa diferente e muita coisa seria melhorada, pois pelo que saiba, depois de "Mister M" a mágica não acabou e realmente se renovou e hoje vemos novos mágicos e truques.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 14 de abril de 2012

Linguagens - Dart

Parece que realmente o Google não cansa de recriar as coisas, primeiro foi o Android e agora aparece em cena uma linguagem chamada Google Dart, ou simplesmente Dart, não pense que isso é uma sigla para alguma coisa, é simplesmente uma evolução da linguagem "Dash". Essa nova linguagem ainda é considerada um preview, versão 0.8, e pode ser conhecida e testada em sua página oficial.

O plano não é nem um pouco ambicioso, na visão do Google a Dart será o substituto de JavaScript, utilizada atualmente na grande maioria dos sites para codificar a camada do cliente e realizar diversas ações. Para realizar essa tarefa, o Google está dotando a linguagem do que existe de melhor sendo que seu grande diferencial são suas bibliotecas, um editor, uma máquina virtual (VM) para servidores e navegadores, e um compilador de JavaScript tudo visando tornar a linguagem mais fácil e veloz. Essa não é a primeira linguagem que o Google tenta para achar um substituto do JavaScript, existe a desconhecida Go, que utiliza uma sintaxe muito parecida com C, porém, a própria empresa a considera como um complemento (e não um substituto) para Dart.

Dart é a promessa de alto risco da Google e se será um sucesso tornando-se um substituto natural para a linguagem JavaScript só o tempo dirá. Atualmente, se sabe que até o início deste ano somente o navegador Chrome possui planos para rodar Dart, mas nem tudo é tão escuro nesse mundo, para facilitar a migração, a Google está divulgando um compilador projetado para traduzir o código Dart para  JavaScript de modo que possa rodar em qualquer navegador e o editor Eclipse já anunciou que pretende trabalhar com a linguagem.

Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

terça-feira, 10 de abril de 2012

Dia a Dia - Praticidade

Desde que comecei a escrever esse blog, muitas coisas aconteceram e entre elas a principal foi a mudança na minha página. Não consigo escrever aqui tanto quanto queria, entretanto consegui transformar minha página em um "Click" de diversos assunto que vejo no dia a dia, são notícias rápidas que se fosse realmente escrever me tomaria muito tempo e circularia falando da mesma coisa o tempo inteiro, ou seja, não é assunto para esse blog.

Então vamos combinar assim, se gosta de notícias longas e bem detalhadas leia o blog pois aqui sempre estarei trazendo assuntos mais completos, se deseja notícias mais técnicas recomendo que me acompanhe pelo Blog da X25 Informática neste endereço, agora se o que quer são assuntos para a vida agitada então corra para meu site onde esse tipo de assunto é tratado dia a dia, ou seja, acaba de descobrir que tem mais duas formas de me encontrar além desse blog, isso é praticidade. Na série de vídeos abaixo acompanhe várias tarefas do dia a dia que são realizadas em no máximo 30 segundos, confira:
Abraços e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 7 de abril de 2012

Mais pensamentos divergentes

Em algumas postagens anteriores (veja aqui), comentamos que o Pensamento Divergente é um pensamento que procura todas as respostas possíveis para uma determinada situação. O pensamento divergente é necessário durante o processo de desenvolvimento de produtos de software na busca de informações, sendo que é utilizado pela grande maioria dos artistas gráficos. Divergência é geralmente indicada pela capacidade de gerar muitas idéias, complexas ou complicadas, a partir de simples ideias ou palavras chaves. Como recurso para iniciar com potenciais ideias, realizamos um "brainstorming" que pode ser iníciado com os seguintes questionamentos:
  • Como descreveria?
  • Quais as causas?
  • Quais os efeitos?
  • O que é importante?
  • Quais as partes mais pequenas que a compõem?
  • Como mudou? Por que essas mudanças são importantes?
  • O que é conhecido e desconhecido sobre?
  • Que categoria de ideias ou objetos pertencem a?
  • É algo bom ou ruim? Por quê?
  • Que sugestões ou recomendações faria?
  • Quais são seus diferentes aspectos?

Assista a palestra Changing Education Paradigms de Ken Robinson que discute o assunto sobre como mudar os paradigmas na educação através do pensamento divergente.

A produção criativa é muitas vezes caracterizada por uma natureza divergente de pensamento e da ação humana, aprender a colaborar e premiar essa colaboração contribui para a identificação de boas idéias e novos métodos que podem resultar em mais projetos com sucesso.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

* Brainstorming é uma técnica que envolve uma lista de ideias de forma criativa e não-estruturada. A meta é gerar o máximo de novas ideias em um curto período de tempo. A ferramenta chave no brainstorming é "pegar carona", ou seja, usar uma ideia para incentivar outras. Durante o processo todas as ideias são registradas, e nenhuma é descartada ou criticada.

terça-feira, 27 de março de 2012

Conhecer - Wikicells

Não se trata de nada relacionado a "Wikipédia" ou a qualquer rede social colaborativa. Vamos começar com seu inventor Prof. David A. Edwards, da Universidade de Harvard que já realizou descobertas intessantes como o chocolate e a cafeína inalável e a vacina "em Spray" para a tuberculose. Sua mais recente invenção são as WikiCells que é uma nova tecnologia de embalagem comestível que permite as pessoas transportarem e comerem os alimentos sem a utilização do plástico.
"The idea was to try to create a bottle which was based on how nature creates bottles, WikiCells imitate such natural packaging by enclosing food and liquid in an edible membrane" (A ideia foi tentar criar uma embalagem que se baseava em como a natureza cria as suas embalagens, WikiCells procura imitar uma embalagem natural, colocando alimentos e líquidos em uma membrana comestível).
Disse Edwards sobre sua motivação para o desenvolvimento das WikiCells, que cita as uvas como um exemplo de uma dessas embalagens da natureza. Essa "embalagem" é uma membrana composta por um polímero carregado de partículas de alimentos que são mantidas juntas por forças eletrostáticas, e por sua vez, protegida por um invólucro rígido, que pode ser  pode ser descascado ou aberto de modo semelhante a um ovo. De acordo com o instituto Wyss, em Harvard:
"Are novel edible forms for eating and drinking transportable foods and drinks without plastic. The notion [of Wikicells] is that you are englobing liquid, foam, or something else in a soft membrane" (São novas formas de embalagens comestíveis para transportar alimentos ou bebidas ​​sem a utilização do plástico. A noção (de Wikicells) é que pode envolver espuma, líquido, ou qualquer outra coisa em uma membrana macia)
Resultado que essa membrana pode ser feita de algo como o chocolate, doces, ou mesmo algas. Pensemos da seguinte forma: uma membrana feita de nacho envolvendo uma guacamole, uma membrana feita de chocolate com chocolate quente ou uma membrana feita de laranja contendo café.
"You can imagine that the yogurt will have a fruity kind of membrane. It could be raspberry, cherry, blueberry. We make something that looks like mozzarella cheese, but when you cut it with a spoon it’s all yogurt inside" (Pode imaginar que o iogurte terá um tipo de fruta como membrana. Pode ser framboesa, cereja, mirtilo. Fazemos algo que se parece a um queijo mozarela, porém, ao cortá-lo com uma colher temos iogurte em seu interior).
Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

quinta-feira, 22 de março de 2012

Compreender - Porque tanta coisa ruim é lançada?

AVISO: Nesta postagem os nomes das fabricantes foram preservados.

O lançamento do ano se mostrou um aparelho que esquenta demais, as novas luzes de uma empresa de celular com seu sistema de janelas não trouxe tanta novidade assim, novíssima impressora que engole o papel quando esquenta e para esquentar só precisa imprimir 5 folhas, novo sistema de celular sai com versão que permite que os contatos sejam divulgados, e por aí vai, ou seja, como diria um Presidente,  é apenas uma "marolinha" de reclamações sobre as novidades. Gostaria de recordar que a primeira versão de um VÍDEO GAME com a novidade do controle sensitivo, o cabo de prender na mão escapava e adeus o televisor, o olho do irmãozinho ou a janela de casa. A aparência que fica é que os produtos não passam pela área de testes, ou que estes são comprometidos em relação ao dia do lançamento prometido para o produto (que muitas vezes atrasa).

Tenho computador que está fazendo cinco anos, notebook de quatro anos, celular de um ano e Tablet de três meses, não pretendo trocar nenhum deles nos próximos meses e estou muito satisfeito com todos esses produtos. Será que existe alguém que consegue acompanhar a avalanche dos novos lançamentos que são feitos a cada período? O pior é como estão sendo feitos, comprou uma versão hoje, cinco meses depois existe uma nova com recursos mais modernos e atraentes. Será que realmente as companhias esperam vender tanto assim? Será que realmente as pessoas trocam a versão do hardware na mesma velocidade que trocam a versão do software? Será que realmente todos os testes estão sendo realizados?

Deixarei essas perguntas, por enquanto, sem respostas. Na próxima publicação estudaremos um pouco sobre a área de testes e quais são os testes que deveriam ser realizados.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 17 de março de 2012

Conhecer - Pensamento Divergente X Educação Tradicional

Curioso perceber como a minha geração (60/70/80) não se adaptou as mudanças da nova geração (90/00/10), antigamente sentávamos na escola, abríamos o livro, o professor passava aquela matéria no quadro que muitas vezes nos perguntávamos para quê? decorávamos várias fórmulas e diversos nomes, fazíamos prova e eramos aprovados ou não dependendo do resultado. Atualmente todo esse ciclo se repete e as pessoas que não conseguem acompanhar são tratadas como doentes (conseguiram rotular e chamar isso de "Deficit de Atenção"), ou seja, desde a década de 60 nada no ensino mudou. Será que o Mundo não mudou? Será que os mesmos pensamentos que tínhamos nesse período continuam?

Segundo a Psicologia e a Wikipédia, Pensamento Divergente é um processo de pensamento ou método que é utilizado para gerar idéias criativas, explorando várias soluções possíveis. Frequentemente é usado em conjunto com o Pensamento Convergente, que segue um determinado conjunto de passos lógicos para se chegar a uma solução, que em alguns casos, é a solução "correta". Pensamento Divergente ocorre tipicamente, forma espontânea, de tal modo que muitas ideias são geradas de maneira livre. Muitas soluções possíveis são exploradas em um curto espaço de tempo, e conexões inesperadas são estabelecidas. Após esse processo, as idéias e informações são organizadas e estruturadas utilizando o Pensamento Convergente.

Segundo tudo isso que entendemos, sabemos que o mundo tecnológico atual propicia isso, uma ideia na Internet é rapidamente divulgada aos quatro cantos do mundo, várias pessoas usam as redes sociais para interagir de diversas formas, pensamentos são formados em um curto espaço de tempo. A pergunta então é: Será que a educação da nova geração acompanhou essa nova forma de mudança? Se a resposta é não então temos um grande problema, pois temos pessoas em idade escolar recebendo variada informação por um lado e (desculpe-me os educadores) o mesmo blá-blá-blá de fórmulas e nomes que depois da conclusão do ensino 99% dessa informação é perdida. Ou seja, fazemos do ensino um estudo de perda de tempo. Deveria ser a hora de percebermos que existe uma nova geração de fantásticas pessoas ávidas por conhecimento real e começarmos a estabelecer novas formas de ensiná-lo.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 11 de março de 2012

Conhecer - Vida do Carinha da TI

Durante minha vida inteira fiquei conhecido como o "Carinha da TI", muitas pessoas o comparam com um Geek, só que existem diferenças, o "Carinha da TI" é uma pessoa que se encontra "antenado" com as mudanças que ocorrem na área de tecnologia (e não por adorar de paixão Sci-Fi ou por achar que "O Guia do Mochileiro das Galáxias" é uma bíblia de sobrevivência). Para ficar "antenado" com o que acontece é preciso por dia, ler pelo menos, de 100 a 500 notícias e saber obviamente do que elas estão tratando, ou seja, realizar uma tradução do que está por trás da notícia. Vamos fazer uma passada rápida, onde em um parágrafo tentarei fazer um resumo geral com as respectivas traduções das últimas notícias:

No site www.audible.com é possível acessar por 30 dias mais de 100.000 audiobooks gratuitamente, tradução: "existe uma tendência forte sobre os audiobooks". Foi realizado um comparativo sobre o New iPad, Asus Transformer e Samsumg 10.1, tradução: "essas são as três marcas top de tablets do mercado". Novo Windows 8 já pode ser baixado o beta,  tradução: "baixe e aprenda logo que você vai usar". Novo Ubuntu 12.04 mostra as novidades, tradução: "O Línux ainda está no páreo da briga". Dicas gerais sobre o Photoshop e o Gimp, tradução: "como editor de imagem use um dos dois, sendo que o segundo como alternativa gratuita". Apple Store assume a marca de 25 Bilhões de downloads, tradução: "mercado mobile está em alta e vai continuar por um bom tempo". Market do Android muda e se torna Google Play, tradução: "livros, música e filmes mais do que nunca ganharão espaço no mundo móvel". Regularizamos seu CPF em 24 horas, tradução: "preciso arrumar um programa melhor de anti-spam".

Isso é apenas uma pequena amostra de como o "Carinha da TI" lê as notícias, também precisamos ter a solução para os problemas mais comuns do dia a dia de uma empresa, como por exemplo, a bateria do Notebook do Diretor não está durando tanto quanto deveria, é nessa hora que as revistas começam a fazer parte do cotidiano, pois muitas delas trazem enormes dicas sobre as mais diversas áreas. No caso do problema a recomendação é fazer um descarrego total da bateria:

  1. Carregar a bateria até a capacidade máxima
  2. Após carregada, deixar na alimentação ainda por mais 2 horas
  3. Desligar a alimentação e deixar descarregar totalmente
  4. Retirar a bateria e deixá-la descansar por, pelo menos, 5 horas
  5. Recolocar a bateria e dar uma nova carga total.
Essa e várias outras dicas e com muito mais detalhes podem ser obtidas na Info Exame de Janeiro de 2012, ou seja, a vida do "Carinha da TI" é principalmente colher informação.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 4 de março de 2012

Literatura - O prazer de ler e escrever

Não gostaria nessa postagem de falar de um autor, de uma série ou mesmo de um único livro, o que atrai uma pessoa a gostar de ler e escrever? E disso que gostaria de falar. O curta metragem de animação ganhador do Oscar deste ano chama-se "The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore" (algo como, "Os Fantásticos Livros Voadores do Sr. Morris Lessmore") um belo conto sobre um escritor que é levado a uma biblioteca para cuidar dos livros enquanto escreve sua própria história.


Possuo treze livros escritos sendo que o décimo quarto está em fase de concepção, por mera definição sou uma traça de livros e adoro ler, para falar a verdade adoro as histórias, viajo no mundo dos autores, cresci lendo a coleção de livros da minha irmã de Agatha Christie ("O Caso dos 10 Negrinhos" é meu favorito), comprava revistas em quadrinhos com todo o dinheiro que ganhava, lia revistas ou qualquer outra coisa que podia. Finalmente entrei no mundo da fantasia, primeiro com Tolkien, depois com Frank Herbert para amar de paixão as histórias de Neil Gaiman. Gosto de manter minha média de livros a 2 ou 3 por semana e não possuo um gênero fixo, a única coisa que sei que continuo chorando quando uma história consegue me emocionar.

As pessoas falam que essa é uma arte que está morrendo, não acredito nisso, atualmente leio com meu Tablet e ouço através dos AudioBooks, acredito que o livro está se reinventando. Como aquele filme "Mensagem para você" (You've got mail) a gente fica triste quando a lojinha de livros é fechada e substituída pela grande super-loja de livros, mas essa é a realidade. Vemos com saudosismo filmes como "O Artista" (que também ganhou o Oscar) mudo e preto e branco, porém em momento algum  sabemos que substituirá a lotação de um Avatar ou qualquer coisa mais tecnologicamente avançada, aguardo ansiosamente a chegada de "O Hobbit" ou "Prometheus" com seus milhares de efeitos especiais, pois tudo se renova e se reinventa.

Assim é o prazer de ler e escrever, o primeiro documento que escrevi, em uma propensão de escrever um livro, foi feito em uma máquina datilográfica manual, quando errava, não tinha jeito, era rasgar a folha e começar novamente. Atualmente posso quase editorar o livro final, posso mudar uma página ou um capítulo inteiro, adicionar ou remover coisas, isso também se renovou e está muito mais fácil para quem quer ser um autor. E porque imaginar que outras coisas também não se renovarão, ser saudosista com o passado é ótimo, mas não ficar agarrado a ele.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 3 de março de 2012

Tablet - A Novela (8) - Imprimindo Documentos

Estava sentado tranquilamente vendo uma página da Internet com meu novo Tablet, era a receita de um Crepe e... como imprimir de um Tablet? Engraçado como só pensamos nas coisas quando realmente precisamos delas. Já tinha o Tablet a meses e realmente nunca tinha necessitado imprimir nada. Sem perceber adotei várias soluções alternativas ao problema.

1ª Solução - Salvar no Cartão MicroSD

Extremamente simples, consiste em: salvar o arquivo no cartão MicroSD, desconectar o MicroSD do Tablet, abrir a carteira para pegar o adaptador de MicroSD para SD (é o melhor lugar para guardá-lo), conectar o MicroSD nele, plugar esse adaptador no desktop (que possui acesso a impressora), imprimir, desconectar o adaptador do desktop, retirar o MicroSD do adaptador e conectar o MicroSD ao Tablet. Sabe o que é pior disso? Fazia tranquilamente sem pensar no trabalho que dava, lá estava amassando barro, areia e palha no calor do deserto para construir uma pirâmide e feliz da vida.

2ª Solução - Compartilhar

É incrível como o Tablet nos torna mais "humanos" compartilhando com nossos iguais coisas que seriam exclusivamente nossas. Só que nesse caso, o compartilhamento era para minha caixa pessoal de email de modo que pudesse ter acesso ao documento de um desktop (que possui acesso a impressora) e imprimir.

3ª Solução - Enviar para a Cloud Computing

E surge o programa Box para abrir as portas do armazenamento Cloud para meu Tablet. Primeira etapa é baixar para o Tablet do Market o programa Box da Box, inc. Uma vez com o programa e uma conta (criada gratuitamente), enviar o arquivo do Tablet para o armazenamento na nuvem e no desktop (que possui acesso a impressora) acessar o endereço http://www.box.com/, efetuar o login e imprimir.

Imprimir diretamente

O mundo estava maravilhoso e nunca tinha necessitado imprimir diretamente do Tablet, só que estava com essa receita e queria mandá-la para a impressora (sem intermediários). Não possuo um impressora WiFi ou ligada diretamente a Rede, existem milhares de programas que imprimem dessa forma, minha impressora é uma Epson e está ligada diretamente a um Desktop. Então vamos aos passos:

  1. No desktop que possui a impressora, acesse o Google Chrome (não funciona com outro navegador).
  2. No menu (parece uma chave de boca) acesse "Opções | Configurações avançadas".
  3. Selecione a opção Google Cloud Print.
Consiste em compartilhar a impressora para a Cloud. Uma vez feito todo o processo guiado e compartilhado a impressora, baixe para o Tablet o programa PrinterShare Mobile Print da Mobile Dynamix. No programa para localizar a impressora, acesse o menu e selecione a opção Google Cloud Printers.

Pronto, agora posso do meu Tablet Android imprimir diretamente na impressora. E, depois disso tudo com licença estou morto de fome e com o desejo de comer alguns crepes.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Conhecimento - Socorro, o Google sabe das minhas preferências...

Não consigo compreender todo o alarde que está sendo feito porque o Google quer monitorar as pesquisas que realizamos no seu motor de buscas. Deixe-me tentar compreender, imaginemos que ao entrar em uma loja de sapatos o atendente pergunte nosso nome e as nossas preferências de calçado, gostamos da forma como somos atendidos e retornamos ao local, só que o atendente novamente pergunta nosso nome e as nossas preferências de calçado e assim é feito pouco importa quantas vezes vamos a loja. No filme "Minority Report" o personagem de Tom Cruise é reconhecido por uma análise da retina e a todo lugar por onde anda, propagandas, notícias, assuntos são direcionadas para as suas preferências anteriormente cadastradas. Isso é conhecido como "Futuro".

No Futuro (que pelo visto não está muito distante) ao comprar um CD de Jazz, começaremos a receber ofertas de novos lançamentos de Jazz, shows de Jazz que estão acontecendo na cidade, notícia sobre um músico de Jazz que acaba de falecer (o que não é muito raro), e por aí vai. Nossas preferências serão armazenadas para o que é conhecido como "Marketing Direcionado". Ou seja, o atendente da loja de calçados não irá apenas lembrar do nome e das nossas preferências de calçado, mas dos nossos gostos, da forma como gostamos de ser tratados, se possuímos ou não algum problema físico, e isso é conhecido como "Saber quem é o Cliente".

"Socorro, o Google sabe das minhas preferências..." e daí? Ao ler meu blog pode-se deduzir muito da minha vida, acessando meu site mais ainda, me seguindo pelo Twitter, quase ficar na minha cola, Facebook, Linkedin,..., espera um momento: "Socorro, um monte de gente sabe das minhas preferências...". E espero que mais um monte fique sabendo, pois cá entre nós, isso é conhecido como "Amizade".

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Empregabilidade - Não tenho tempo ou prioridade?

Tenho um total de 13 livros escritos e estou atualmente escrevendo meu 14º Livro, um livro leva umas 12 horas para escrever cada 10 páginas, em média cada livro tem mais de 150 páginas, uma conta básica e temos, hum..., calculadora do Windows, demora para abrir, hum..., pega a HP-12C, está na pasta, minha coluna, hum..., isso mesmo 180 horas, ou seja, gasto uma semana e meio dia para escrever um livro (se não precisasse dormir ou fazer qualquer outra coisa) e as pessoas ainda me perguntam porque em média demora 2 anos para escrever um simples livro. Simples, prioridades.

Todo o aprendizado ou coisas que iremos fazer nessa vida é definida pelas prioridades, por exemplo, quer ser um gênio da Matemática? Basta dedicar metade do seu tempo diário (12 horas) para isso e ao final de quatro anos terá dedicado exatamente dois anos inteiros ao estudo exclusivo da Matemática. Existe alguém que faz isso? Claro que existe "os gênios da Matemática". Como professor isso é meio frustrante, muitas pessoas gastam uma nota para frequentar um curso e quando chegam lá o que fazem? Dizem que não tem tempo para estudar, não tem tempo para rever a matéria, não tem tempo para fazer o dever de casa e por aí vai. Não tem tempo ou não determinam a prioridade necessária para aquele determinado item?

Sejamos francos, o dia tem 24 horas e isso não vai mudar, a menos que se desloque para outro planeta (ouvi dizer que Saturno é maravilhoso essa época do ano), então o que faremos nessas horas? Quais são as coisas que achamos importante para a nossa vida e nossa carreira? Aprender um novo idioma, fortalecer o que já conhecemos, aprender uma nova maneira de realizar uma conta, ler um livro de filosofia, ou, desejamos dar prioridades a ficar na horizontal em algum lugar, assistir a um apresentador Podre de Rico entregar uma nova casa para uma família pobre, ver duas popozudas brigando em uma casa que estão confinadas, passar horas empilhando bloquinhos. O que é mais satisfatório para sua vida e sua carreira?

Todo dia faço um balanço de como gastei meu dia e estabeleço minhas prioridades para o dia seguinte, não por ser organizado mas por ser chato comigo mesmo, quero ser melhor a cada dia, quero poder dizer que fiz algo dessa vida que me foi entregue e que dura tão pouco, se viver na média dos 80 anos, dos quais até os 12 não temos a menor responsabilidade e depois dos 60 a mente já não funciona como deveria, então conta rápida novamente, hum..., tinha certeza que tinha deixado  a calculadora do Windows aberta, hum..., minha coluna de novo, hum..., temos então 20 anos para realizar algo, não, a conta não está errada dos 48 anos que restam são necessários metade do tempo para dormir e realizar as necessidades básicas (e não estou contando com banhos), vamos descontar mais 4 anos que serão necessários para alimentação. E agora vem a pergunta o que você fará nesses 20 anos?

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Empregabilidade - Que tipo de profissional é você?

Existe uma atitude muito simples que é muito difundida por profissionais americanos, é chamado de Atitude DYI, do inglês Do It Yourself (ou seja, faça você mesmo), não sei se já reparou em uma loja chamada Leroy Merlin, a grande maioria das coisas vendidas são para levar e fazer (isso muitas vezes significa construir), no Brasil fizeram uma pequena adaptação no sentido de disponibilizar uma pessoa para ir na sua casa e montar.

Quando cito a cultura americana, não é porque defenda tudo ou ache tudo o que vem de fora melhor, é simplesmente porque o espírito Empreendedor faz parte integrante da cultura americana, devemos lembrar que historicamente os Estados Unidos foram colonizados por pessoas que sairam da Europa para buscar  uma vida melhor, já o Brasil era apenas um solo a ser explorado para o benefício de Portugal. E infelizmente esse tipo de cultura no nosso País se estende até os dias atuais, muito jovem brasileiro não deseja ter seu próprio negócio, deseja apenas passar em um bom Concurso Público (ou será que estou mentindo?). Atitude DYI significa que você faz todo o trabalho com suas próprias mãos, que traduzindo em miúdos, significa não ficar esperando que os outros façam o que deve ser feito. Quantas vezes vemos as coisas interrompidas simplesmente porque alguém cruza os braços esperando que outro alguém simplesmente tire uma cópia, ou que realize a digitação, ou que entregue um determinado documento, ou seja, coisas que seriam realizadas facilmente pela mesma pessoa.

Algumas pessoas possuem esse tipo de atitude e gostam de colocar "a mão na massa" e fazer pequenas coisas nas suas casas, e esse é o ponto: "nas suas casas". Uma pessoa pode muito bem fazer o trabalho de vários "profissionais" sem desmerecer seu próprio trabalho, pois ver a sua empresa crescer não é demérito para ninguém e nem trabalhar como um escravo. Ter uma Atitude DYI começa por arrumar e limpar sua mesa, buscar o seu café ou sua água, por inserir seus dados para realizar algum teste no programa, por fazer suas próprias coisas ao invés de esperar que outros façam.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Conhecimento - Turing e a Inteligência Artificial

A primeira pessoa conhecida a mencionar AI (Artificial Intelligence) em suas anotações foi Ada Lovelace Byron (1815 – 1852):
Ada Lovelace, as many of the mathematicians who dealt with computation did then, chose to speak her mind on the subject of artificial intelligence. She reasoned that the Analytical Engine would never be capable of originating anything, and therefore could not achieve intelligence. Though her reasoning goes on to say that the Engine could only do what it was programmed to do, whatever someone knew how to order it to behave. (Rheingold, 1985)
Porém de forma negativa, algum tempo mais tarde (60 anos após sua morte) surgiu um outro matemático chamado Alan Mathison Turing (1912 – 1954), que propôs um simples desafio: Ao fazer uma série de perguntas a um desconhecido (que pode ser um ser humano ou um computador) e este a responder de modo que quem formulou as perguntas não saiba se as respostas foram dadas por um ser humano ou pelo computador, este programa do computador é inteligente. Então em meados dos anos 50 estava criado o Teste de Turing.

Este teste e bem visível no filme Blade Runner, no qual os investigadores o utilizam para descobrir os replicantes. Saindo um pouco da ficção e retornando para a praticidade, os modernos vídeo games se baseiam neste teste para analisar o quão poderoso pode ser um jogo, outro caso é o famoso programa "Siri" (inclusive apareceu em um episódio da série The Big Bang Theory), principal chamativo do iPhone 4S, que é um Assistente Pessoal capaz de ajudar o usuário a resolver alguns de seus problemas, pode ser que o reconhecimento de voz ainda não esteja 100%, em compensação, ao ser entendida uma determinada pergunta a ação que o assistente toma é digna do melhor programa de AI.

Obrigado e até a próxima
Fernando Anselmo